36 ativistas judeus são presos em protesto em centro de detenções em NJ

Foto17 Centro de detencao de Elizabeth 36 ativistas judeus são presos em protesto em centro de detenções em NJ
Os ativistas exibiram cartazes em inglês e hebraico pedindo justiça para os imigrantes (Foto: Never Again Action)

Os manifestantes protestaram contra as condições em que são mantidos os imigrantes no centro de detenção na cidade de Elizabeth (NJ)

No domingo (30), policiais prenderam 36 manifestantes que bloquearam a entrada do centro de detenções de imigrantes em Elizabeth (NJ), informaram as autoridades. “Trinta e seis de aproximadamente 100 manifestantes foram detidos ontem e transportados para a sede da polícia”, disse Kelly Martins, porta-voz da Prefeitura, através de um e-mail.

“Os manifestantes não tinha autorização para manifestar, mas a polícia os deixou por cortesia, uma vez que eles não eram violentos e a manifestação era pacífica”, relatou Martins, acrescentando que as prisões ocorreram quando os ativistas bloquearam a entrada das instalações.

Os ativistas foram acusados de obstrução de passagem pública, receberam notificações para compareceram ao tribunal municipal e liberados, explicou Martins.

“Enquanto na delegacia, os manifestantes invocaram os Direitos Miranda deles e recusaram-se a identificar qualquer grupo específico que eles eram afiliados”, disse Martins. “Eles são de diversas áreas espalhadas por New Jersey e Nova York”.

Um vídeo da cena mostra agentes da Polícia de Elizabeth levando os manifestantes embora com as mãos algemadas, enquanto centenas de outros entoavam “Hey, hey, ho, ho, racist ICE got to go” (Ei, ei, o, o, o ICE racista tem que ir embora, em tradução livre) e outros exibiam cartazes com os dizeres: “Nunca mais novamente significa o fechamento dos campos (de detenção).

O grupo “Never Again: Jews Against ICE Week of Action” organizou a manifestação, o primeiro de vários protestos agendados para ocorrerem em todo o país. Os ativistas comparam as condições dos centros de detenção com o holocausto.

“Nós efetivamente impedimos a capacidade de as pessoas entrarem e saírem das instalações do Departamento de Imigração (ICE) por uma hora e meia”, disse Brandon Mond, porta-voz do grupo. “Esse é o primeiro de muitos (protestos) planejados”.

“Como judeus, nós fomos ensinados a nunca permitir que qualquer coisa parecida com o holocausto aconteça novamente”, postou o grupo em sua página no Facebook. “Agora, com crianças detidas em condições inaceitáveis, as batidas do ICE focalizando as nossas comunidades; nós estamos vendo sinais de atrocidade em massa. “Nós nos recusamos a esperar e ver o que acontecerá depois”.

O grupo iniciou uma campanha online no GoFundMe.com para cobrir os custos com as fianças de seus membros. O dinheiro arrecadado e não utilizado será doado ao Movimento Cosecha, uma ONG que luta pelos direitos dos imigrantes.

As condições dos centros de detenção de imigrantes têm sido alvo de críticas devido às preocupações com o serviço de saúde e higiene. A Deputada Federal Alexandria Ocasio Cortez, que referiu-se aos centros como “campos de concentração”, postou no Twitter, no domingo (30), apoio ao grupo e encorajou os seguidores dela a doarem dinheiro.

“Obrigada, @NeverAgainActn pela coragem, compaixão e generosidade na busca pela notícia”, postou Cortez no Twitter.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend