Advogado de imigração é acusado de roubar US$ 7 mil de empresário

Foto9 Jose Vega e Sidney Torres Advogado de imigração é acusado de roubar US$ 7 mil de empresário
O construtor Sidney Torres (dir.) contratou José Vega (esc.) para regularizar o status migratório nos EUA de 2 funcionários que trabalharam para ele nas Bahamas

José Vega se recusou a devolver US$ 7 mil pagos por Sidney Torres para a obtenção da residência permanente (green card) para 2 funcionários

Há aproximadamente 2 anos, o construtor Sidney Torres IV, de Nova Orleans, Louisiana, pagou US$ 7 mil a um advogado de imigração para ajudar 2 antigos empregados a obterem a residência permanente (green cards), segundo documentos apresentados no tribunal. Entretanto, tal advogado, José W. Vega, de 53 anos, não tinha licença para exercer a profissão na ocasião. Quando o cliente descobriu a situação, Torres exigiu a devolução do dinheiro, mas Vega negou-se a ressarci-lo.

Agora, José foi preso em decorrência da acusação de roubo e por atuar falsamente como advogado. O caso começou em dezembro de 2016, quando Torres decidiu procurar ajuda profissional na legalização dos 2 trabalhadores naturais do Butão; que causaram boa impressão quando trabalharam num balneário que Torres possuía nas Bahamas. Os documentos na Corte indicam que Sidney contratou José, durante uma entrevista o construtor disse que ambos os funcionários contrataram o advogado por recomendação dele. Em qualquer um dos dois casos, Torres pagou US$ 7 mil a José para ajudar Kezang Dorji e Choki Wagmo nos processos de legalização.

Torres alega que José não fez nada com relação aos casos. Ele acrescentou ter descoberto que Vega estava proibido de praticar Direito na Louisiana desde 2012, pois não havia pago as tarifas exigidas pelo “Bar Association” (Uma espécie de OAB nos EUA) ou deu continuidade às exigências de treinamento legal, entre outros problemas. Posteriormente, o advogado entregou sua licença no Texas depois de ser acusado de receber mais de US$ 100 mil de clientes que queriam aplicar para vistos de trabalho e não dar continuação aos processos.

Torres pediu repetidamente a Vega o reembolso, sem obter sucesso. Então o construtor apresentou uma reclamação contra o advogado junto à unidade de crimes financeiros do Departamento de Polícia de Nova Orleans, na quinta-feira (3), e José se entregou às autoridades na terça-feira (22), após os investigadores obterem um mandado de prisão contra ele. O juiz determinou a fiança do réu em US$ 5 mil.

“Ele tentou prejudicar as pessoas mais simples; achando que elas não fariam nada”, disse Torres, que participou do reality show “The Deed” (O acordo, em tradução livre), do canal de TV CNBC.

O construtor acrescentou que denunciou o advogado às autoridades porque ele “não deixaria que ele tirasse vantagem dessas pessoas”.

A prisão foi o problema mais recente na carreira profissional de José. Em dezembro do ano passado, a polícia de Houston (TX) o prendeu sob a acusação de praticar direito depois de entregar a licença de advogado no Texas. Em fevereiro desse ano, o Conselho de Disciplina dos Advogados da Louisiana recomendou que a Corte Suprema Estadual impedisse permanentemente que ele exercesse a profissão.

Vega foi aprovado pela Ordem dos Advogados (Bar) da Louisiana em 1993; graduando-se em Direito no ano anterior pela Escola de Direito LSU.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend