Água contaminada em Newark atinge níveis alarmantes

Foto16 Torneira pingando Água contaminada em Newark atinge níveis alarmantes
Os resultados dos testes aumentaram ainda mais a desconfiança da população no sistema de abastecimento de água de Newark

Exames revelaram que a água da maior cidade de New Jersey possui níveis altos de ácidos haloacéticos

Primeiro foi chumbo, agora elementos químicos cancerígenos. Novamente, Newark violou os padrões federais, permitindo que um elemento que tende a causar câncer contamine a água potável e a água que é vendida às cidades vizinhas, revelou testes estaduais.

Os exames revelaram que a água da maior cidade de New Jersey possui níveis altos de ácidos haloacéticos, um grupo de 5 elementos químicos cancerígenos que são subprodutos do processo de desinfecção da água. As pessoas expostas a altos níveis de ácidos haloacéticos durante vários anos aumentam a possibilidade de desenvolverem câncer, segundo do Departamento de Proteção Ambiental dos EUA (EPA).

Os resultados dos testes aumentaram ainda mais a desconfiança da população no sistema de abastecimento de água de Newark. A Prefeitura já está sob pressão devido ao nível elevado de chumbo na água potável e recentemente reconheceu que não tratava de forma apropriada a água contaminada com elementos corrosivos em uma de suas estações de tratamento.

Os níveis elevados de ácidos haloacéticos não são considerados emergência aguda pelas autoridades estaduais e federais, segundo Kareem Adeem, diretor interino das estações municipais de tratamento de água & esgotos. Ele acrescentou que Newark está ciente dos níveis altos de ácidos haloacéticos e está trabalhando para resolver o problema. Especificamente, ele detalhou que a Prefeitura está promovendo mudanças no processo de desinfecção e instalando um sistema de escoamento que remove mais rapidamente a água antiga do sistema.

Ele detalhou que não há problemas adicionais sobre como o departamento está tratando a água e que “aumentos recentes de material orgânico nas fontes de água e a demanda por doses maiores de cloro”, provocaram o aumento recente nos níveis de ácidos haloacéticos.

O cloro é adicionado à água para eliminar bactérias e os ácidos haloacéticos são criados quando o cloro rege com elementos orgânicos como folhas na água. O processo de desinfecção precisa ser ajustado para que a produção de ácidos haloacéticos seja reduzida.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend