Apenas um xerife de NY assina acordo de ajuda de cooperação com o ICE

Foto28 Patrick Russo Apenas um xerife de NY assina acordo de ajuda de cooperação com o ICE
O Xerife Patrick Russo disse que a razão dele em participar do 287(g) foi a “segurança pública”, embora somente 5% da população na jurisdição seja estrangeira

O Condado de Rensselaer é o único no estado de Nova York que participa do programa 287(g)

Em janeiro, o escritório do xerife do Condado de Rensselaer tornou-se 1 entre os únicos 75 nos EUA e o primeiro no estado de Nova York a se inscrever no 287(g). O programa permite a colaboração dos órgãos de segurança locais com as autoridades migratórias. O número de jurisdições que decidiram participar do programa quase dobrou desde que o Presidente Donald Trump relançou o 287(g) através de um decreto de lei em janeiro desse ano.

Ao concordar em juntar-se ao 287(g), o xerife eleito do Condado de Rensselaer, Patrick Russo, de 65 anos, um republicano que atua na área de segurança a 43 anos, manchou a imagem do pequeno condado rural no debate nacional sobre a imigração.

“A polícia estadual não se envolve e não se envolverá em tal atividade e nós estamos preocupados que um xerife local no estado tenha decidido participar”, disse Alphonso David, conselheiro chefe do Governador Andrew Cuomo. O acordo é “contrário à política pública e os valores do nosso estado”.

O programa ainda tem que ser implantado no Condado de Rensselaer, que fica localizado a 150 milhas (241 Km) ao norte de New York City. Quando começar, o Departamento de Imigração (ICE) treinará 2 policiais a como identificar, interrogar e denunciar detentos estrangeiros indocumentados, incluindo aqueles que estejam aguardando audiência.

Cuomo e ativistas criticaram o programa, alegando que ele compromete a confiança entre os estrangeiros indocumentados e as autoridades de segurança locais. Além disso, eles dizem que isso faz com que os indocumentados tenham receio em denunciar crimes. Chefes de polícia em todos os EUA citaram razões similares para se recusar a participar do programa.

Numa entrevista recente, Russo disse que estava surpreso em saber que o condado dele era o único no estado a juntar-se ao programa. “Eu fiquei um pouco surpreso quando ouvi isso”, comentou Russo. “Pois, para mim, essa é mais uma ferramenta na caixa e eu estou autorizado a por a mão nessa caixa para tornar o condado mais seguro”.

Khaalid Walls, porta-voz do ICE, aplaudiu a decisão de Russo. “A parceria com os órgão de segurança locais equivalem a forças multiplicadoras valiosas em lugares onde possamos ser mais eficazes na luta pelo aumento da segurança pública; as penitenciárias locais”, disse ele.

Dados do Censo de 2016 indicam que apenas 5% dos residentes no Condado de Rensselaer são estrangeiros, um índice tão baixo que pode não incluir indocumentados, sendo que a maioria reside em Troy, o centro administrativo do Condado.

“Eu poderia estar errado, mas eu não vejo uma população imigrante aqui que poderia ser afetada”, comentou Russo.

Provavelmente, o Condado possa estar vislumbrando algum benefício monetário em participar do programa, uma vez que o ICE pagará a penitenciária por qualquer detido. Apesar disso, Russo alegou que a razão principal em se inscrever no programa era garantir que as penitenciárias não liberem criminosos estrangeiros de volta às ruas.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend