Brasileira conquista o “Oscar da Voz” na Califórnia

Foto14 Sheylla Goncalves Brasileira conquista o “Oscar da Voz” na Califórnia
Em 2010, Sheylla mudou-se para os EUA para aprimorar o idioma inglês, mas as oportunidades fizeram com que ela decidisse permanecer no país

A dubladora Sheylla Gonçalves concorreu na categoria “Conjunto de Trabalho de Destaque, Língua Estrangeira – Melhor Voiceover”

O termo “dublagem” vem do francês “doublage” que significa duplicação de voz, o termo, mesmo por ser gringo, já está no dicionário português, assim como aconteceu com a palavra “estresse” derivado de “stress”. Os primeiros filmes sonoros apareceram em 1925, mas o cinema começou a “dublar” somente em 1927 com o filme “The Jazz Singer” que incluía algumas falas, porém o primeiro filme totalmente dublado foi “Luzes de Nova York”, lançado em 1929. O recurso da dublagem permitiu o aprimoramento da qualidade sonora dos filmes, visto que os equipamentos de filmagens eram extremamente barulhentos, o que nem sempre permitia uma boa captação do som. Foi também uma boa solução para as tomadas externas em condições adversas. Alguns países não tem o costume da dublagem para cinema, deixando a dublagem somente para desenhos animados, no qual não precisa um estudo detalhado da fala dos personagens, ao contrário de filmes, por exemplo.

. Talento brasileiro:

Conquistando admiradores ou não, a popularidade da dublagem resultou na criação do prêmio “Voice Arts Awards” pela Society of Voice Arts & Sciences (SOVAS), nos EUA. A cerimônia está em sua 5ª edição e esse ano premiará os melhores talentos de 2018, incluindo a carioca Sheylla Gonçalves. Ano passado, ela havia concorrido à categoria “Diretora de Elenco”, na dublagem da Turma da Mônica para o idioma espanhol, na série “Mônica y sus amigos”. Ela foi a primeira brasileira a ser indicada ao prêmio, cuja entrega acontecerá no Warner Bros Studios, em Burbank (CA), no domingo (18), com direito a tapete vermelho.

Sheylla carrega na bagagem profissional o Teatro Tablado (RJ), graduação em Artes Cênicas  com Licenciatura em Educação Artística (SP) e a Casa & Companhia de Artes Avancini. Em 2010, ela mudou-se para os EUA para aprimorar o idioma inglês, mas as oportunidades fizeram com que ela decidisse permanecer no país, onde descobriu o fascínio pela produção, direção e dublagem.

Em 2018, Sheylla foi escolhida na categoria “Conjunto de Trabalho de Destaque, Língua Estrangeira – Melhor Voiceover”, assim como os profissionais Rona Fletcher, Ruben Raffo, Memo Sauceda e Sylvia Villagran.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend