Atirador perguntou “status legal” antes de matar vítima

Foto5 Srinivas Kuchibhotla Adam Purinton e Alok Madasani 1024x368 Atirador perguntou status legal” antes de matar vítima
O veterano da Marinha Adam Purinton (centro) atirou fatalmente em Srinivas Kuchibhotla (esq.) e feriu Alok Madasani (dir.)

Adam Purinton atirou contra dois engenheiros indianos que estavam em um bar, matando um deles e ferindo duas pessoas

O indivíduo em Kansas acusado de matar um engenheiro indiano perguntou a ele e um amigo se o “status deles era legal”, antes de abrir fogo, segundo documentos apresentados no tribunal. O réu Adam Purinton, de 51 anos, é acusado de ter assassinado Srinivas Kuchbhotla na cidade de Olathe, na região metropolitana de Kansas City, em fevereiro.

Uma testemunha que estava no Austin’s Bar & Grill disse que o veterano da Marinha gritou “saia do meu país” para o engenheiro e seu amigo, Alok Madasani, natural de Hyderabad, Índia, antes de atirar neles e num cliente do bar que tentou intervir.

Madasani, que trabalhava com Kuchibhotla na companhia de GPS Garmin, relatou aos detetives que Purinton os perguntou se “o status deles era legal”, antes que ele fosse expulso do restaurante. O atirador retornou meia hora depois com uma pistola, alvejando os dois engenheiros e Ian Grillot, de 24 anos. O jovem americano relatou que pensou que Purinton não tivesse mais munição quando o perseguiu e foi alvejado no peito com uma bala.

O veterano foi preso na mesma noite em uma filial da lanchonete Applebees a 70 milhas de distância, em Missouri, onde ele confessou a um atendente ter atirado em dois homens que ele pensava serem iranianos. Os representantes do FBI informaram que, além das acusações de homicídio e tentativa de homicídio, está sendo investigado se o tiroteio, que abalou a opinião pública nos EUA e Índia, teve como motivo o preconceito racial.

O Presidente Donald Trump, que recebeu críticas por demorar a se pronunciar sobre o trágico incidente e foi acusado de motivá-lo devido sua retórica nacionalista, condenou-o durante o seu discurso perante os membros do Congresso, semana passada. No último final de semana, um imigrante Sikh, de 39 anos, denunciou que um indivíduo armado se aproximou dele e disse “volte para o seu país”, antes de alvejá-lo no braço. A vítima, Deep Rai, está se recuperando em um hospital local e a polícia ainda não localizou ou prendeu qualquer suspeito.

 

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to a friend