Ativista indocumentada presa pelo ICE é liberada

Foto5 Daniela Vargas 1024x920 Ativista indocumentada presa pelo ICE é liberada
Indocumentada, Daniela Vargas era beneficiada pelo programa DACA, entretanto, não o havia renovado em dezembro do ano passado

Daniela Vargas foi detida logo após discursar contra as prisões do pai e irmão por agentes de imigração, no Mississippi

Daniela Vargas, ativista e indocumentada argentina que foi detida por agentes do Departamento de Imigração (ICE) depois que ela discursou contra as batidas realizadas pelo órgão, foi liberada na sexta-feira (10). A informação foi divulgada por Karen Tumlin, diretora legal do National Immigration Law Center (NILC).

“Após quase duas longas semanas em detenção, Daniela Vargas está a caminho de se encontrar com sua família e comunidade no Mississippi”, disse Karen. “Este é um dia, pelo menos um momento, para celebração no que tem sido vários meses horríveis para a comunidade imigrante e suas famílias”.

Os detalhes sobre as condições para a libertação de Vargas não foram divulgados na sexta-feira. O advogado da jovem, Nathan Elmore, disse estar preocupado que a ordem de deportação contra a sua cliente não foi rescindida. Ela foi mantida em um centro de detenção do ICE na Louisiana.

“Nós não vimos a ordem que a liberou, então, há aspectos técnicos que provocam dúvidas antes de vê-la”, disse Elmore.

Vargas, de 22 anos, qualificou para a proteção temporária contra a deportação através do programa Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), assinado pelo então Presidente Barack Obama, mas o status dela expirou em dezembro de 2016 e ela não o renovou. A jovem foi detida semana passada, depois de discursar em um comício ocorrido em Jackson, Mississippi, sobre a prisão do pai e irmão por agentes do ICE.

Os advogados do ICE apresentaram uma petição essa semana junto à Corte Federal pedindo a liberação imediata dela. A petição de habeas corpus, apresentada na segunda-feira (13) junto à Corte Distrital em Alexandria, Louisiana, alegou que “os agentes do ICE prenderam e detiveram Vargas em retaliação ao exercício dela da primeira emenda dos direitos constitucionais”, tendo como referência o comício em que ela participou.

“A contínua detenção e Vargas e a incapacidade de contestar essa detenção e remoção viola os direitos dela garantidos pela Primeira e Quinta Emendas Constitucionais”.

Semana passada, o ICE emitiu um comunicado alegando que Vargas foi detida durante uma das operações “específicas”.

“Departamento de Imigração (ICE) dos Estados Unidos deteve Daniela Vargas, de 22 anos, uma cidadã argentina ilegal, em 1 de março, durante uma operação especial em Jackson, Mississippi”, citou o comunicado. Na quinta-feira (9), o ICE postou no Twitter que “o DACA não é um status legal de proteção, embora os beneficiados pelo DACA sejam considerados prioridade baixa no cumprimento das leis”.

O Departamento de Segurança Nacional (DHS) cancelou o DACA de 1.500 jovens desde 2012, grande parte devido à atividades criminosas, postou o ICE no Twitter.

Vargas imigrou com sua família para os EUA quando tinha 7 anos de idade e permaneceu irregularmente no país.

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to friend