Atrasos no Serviço de Imigração prejudicam estudantes estrangeiros

Foto21 Columbia University Atrasos no Serviço de Imigração prejudicam estudantes estrangeiros
O problema afeta inúmeros alunos de universidades renomadas, entre elas a Columbia University (detalhe)

As solicitações de permissão de trabalho dos alunos internacionais enfrentam atrasos de vários meses no processamento

As aplicações para visto de centenas de estudantes internacionais que tentam trabalhar nos EUA nesse verão acumulam-se no Serviços de Imigração & Cidadania (USCIS). O aumento no tempo de processamento prejudicou alunos e universidades. Os estudantes enviaram petições e cartas de pânico aos líderes de algumas das instituições mais renomadas do país, enquanto o prazo para estágios iniciam e terminam; sem qualquer satisfação das autoridades federais.

Os formandos recentes da Escola de Jornalismo da Universidade de Columbia estão estender as datas de estágios e dependem dos pais para as despesas do dia-a-dia. Estudantes de Princeton tiveram ofertas de emprego rescindidas e tiveram que voltar para casa durante o verão. No Dartmouth College, os alunos estão perdendo dinheiro gastos com habitação e voos para viver e trabalhar em outros estados. Em Yale, os estudantes tiveram dificuldades de matricularem-se num curso novo criado o qual permitiria a universidade aprovar os empregos deles de verão.

“Todas as manhãs eu acordo com ansiedade, imaginando o que vou fazer quando deveria estar trabalhando”, disse Yaling Jiang, de 26 anos, estudante natural da China e recém-formada pela Escola de Jornalismo da Columbia. Ela deveria começar um estágio na semana passada numa revista de negócios publicada pelo The Financial Times.

Tal atraso, líderes das universidades especulam, reflete as dificuldades que os alunos internacionais enfrentam para trabalhar e estudar nos EUA durante a administração Trump. Em 2018, o governo tentou punir os estudantes que ultrapassem o período de permanência dos vistos, uma política que está sob a injunção judicial. Enquanto escala a batalha fiscal entre os EUA e China, Beijing alertou os estudantes chineses sobre as possíveis restrições e atrasos de vistos nos EUA.

Jiang está entre os estudantes que aguardam autorização de trabalho através do programa chamado “Treinamento Prático Opcional”; o qual permite aos estudantes estrangeiros trabalharem durante até 1 ano na área de formação. Eles podem aplicar para a autorização somente 90 dias antes de iniciar o trabalho ou formatura. Anteriormente, isso não era um problema: O tempo máximo de espera era 90 dias; embora os líderes nas universidades dizerem que era raro exceder 60 dias. Em 2019, o USCIS está prevendo o atraso de até 5 meses, o qual alega que deve-se à “avalanche de pedidos de autorização de trabalho”, o que criou “um pequeno acúmulo”.

O USCIS acrescentou que “implantou um plano para resolver o problema e retornar ao prazo normal de processamento em breve”.

O reitor de Princeton, Christopher L. Eisgruber, liderou um grupo de reitores que enviou uma carta às autoridades estaduais em maio citando os atrasos no USCIS como muitos casos de “obstáculos preocupantes que prejudicam os alunos internacionais, funcionários das universidades e professores”. A carta destacou o resultado de pesquisas que revelaram a queda no número de estrangeiros que matriculam-se em universidades nos EUA e que nos últimos 2 anos fiscais o tempo de processamento de vistos aumentou 46%.

“Algumas de nossas escolas têm vivenciado a queda da matrícula dos estudantes internacionais e todas as nossas escolas têm enfrentado um sistema cada vez mais congestionado que prejudica a nossa habilidade em recrutar, reter e trazer talentos estrangeiros aos nossos campi”.

Os atrasos tornaram quase impossível para os estudantes que aplicaram em fevereiro ou março, o mais cedo que puderam, para começarem a trabalhar a tempo no verão.

“Quando você começa como estagiário, você quer começar com o pé direito”, disse Jeevika Verma, de 23 anos, uma indiana graduada recentemente na Universidade de Columbia, que enviou a aplicação em 4 de março, mas ainda espera a autorização para trabalhar na WNYC. “Você quer iniciar cedo e ficar até tarde, mas eu sequer posso começar”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend