Autoridades: Day McCarthy Já foi presa por prostituição

Foto8 Day McCarthy 790x1024 Autoridades: Day McCarthy Já foi presa por prostituição
Dayane criticou a filha de 4 anos, Titi, do casal Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank
Foto8 Day McCarthy  Autoridades: Day McCarthy Já foi presa por prostituição
Ficha de Dayane Alcântara Couto de Andrade do Departamento de Polícia na Virgínia

A “socialite e escritora” foi detida em 19 de setembro de 2015, na Virgínia

Dayane Alcântara Couto de Andrade, de 28 anos, natural de Cancelas (ES), tornou-se do dia para a noite uma “celebridade” internacional, entretanto, não por bons motivos. Ela, que se identifica nas redes sociais de “Day McCarthy”, é acusada de postar injúrias raciais contra a filha do casal de atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Tanta atenção fez com que o Departamento de Polícia do Condado de Henrico, na Virgínia, informasse que Dayane já foi presa no estado, em 19 de setembro de 2015, em decorrência das acusações de “manter ou frequentar prostíbulo”. Inicialmente, a imprensa brasileira havia divulgado que ela morava no Canadá, entretanto, Dayane vive em Las Vegas (NV).

A blogueira, que se autodenomina socialite e escritora, chama Titi, 4 anos, filha de Giovanna e Bruno Gagliasso, de “macaca”. “A menina é preta. Tem o cabelo horrível de pico de palha. Tem o nariz de preto horrível. E o povo fala que a menina é linda”, diz McCarthy na gravação. ”Ficam elogiando aquela macaca, preta, horrível, e o povo fala que a menina é linda”. E ainda destacou que o ”o povo só puxa o saco porque é adotada por famosos”. A “socialite” questionou como ”duas pessoas brancas, dos olhos claros, teriam uma filha negra”.

Gagliasso registrou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio de Janeiro. “Ela é uma criminosa, precisa pagar pelo que ela faz. Estou aqui porque ela disse que está em outro país. Conversando com a delegada, ela disse que é muito importante fazer isso porque é crime em qualquer lugar do mundo e ela vai responder por isso”, comentou o autor, após prestar denúncia, do lado de fora da delegacia.

Ofender alguém por causa da cor da pele é crime de injúria racial e o infrator está sujeito entre 1 e 3 anos de detenção.

Em outras postagens polêmicas, Dayane comparou a filha do casal Roberto Justus e Ticiane Pinheiro, Rafaela Justus, ao boneco Chucky, do filme Brinquedos Assassinos e nem o filho de 3 anos da apresentadora Ana Hickmann, Alexandre, escapou. Nessa postagem, a sexualidade da criança é questionada. Ana e o marido registraram queixa em São Paulo. Já a cantora Anitta foi acusada por McCarthy de consumir drogas. Demonstrando ousadia, ela diz na postagem que possui o vídeo para provar, entretanto, nunca o postou.

Apesar da polêmica e ultraje gerado pelos comentários, Dayane alega que suas postagens nas redes sociais visam “encorajar” seus seguidores. Ela se define como escritora e que publicou 4 livros, embora não cite os nomes das obras. Em seu perfil, McCarthy alega que se graduou na New York Film Academy e na Universidade de Harvard, uma das mais renomadas do planeta. A imprensa brasileira apurou que a capixaba foi aluna do curso supletivo no Centro Educacional Barbosa Figueiredo, no bairro do Grajaú, na zona norte carioca, mas não chegou a concluí-lo.

“Ela cresceu revoltada com a infância pobre. Mas era uma pessoa diferente dessa mulher que hoje precisaria de tratamento médico. Capaz de desejar a morte de um sobrinho; uma criança que sofre de uma doença grave”, comentou uma prima à imprensa brasileira.

“Ela estudou em escolas particulares, frequentou durante um ano a Igreja Batista, até se mudar para o Rio. Foi morar lá depois de conhecer um músico. Sempre sonhou em ser rica e famosa. Foi uma adolescente muito revoltada. Vendo tudo isso o que ela tem feito, acho que está maluca. Precisando de ajuda psiquiátrica”, acrescentou outro.

Related posts

Comentários

Send this to a friend