Batidas do ICE comprometem mão-de-obra em Iowa

Foto4 Protesto em Iowa Batidas do ICE comprometem mão de obra em Iowa
Moradores em Iowa protestam em frente ao prédio da Corte contra a batida que resultou na prisão de 32 trabalhadores em Mount Pleasant (detalhe)

Em 2018, uma batida resultou na prisão de 32 funcionários indocumentados numa fábrica de cimento pré-moldado em Mount Pleasant

Uma série de batidas migratórias nas instalações da fábrica de peças de concreto pré-fabricadas resultou na prisão de 32 trabalhadores indocumentados, em Mount Pleasant, Iowa.

“Eu estava no carro comendo quando, de repente, todos (agentes) eles chegaram”, relatou um funcionário. “Eles me tiraram do carro, algemaram e todos os outros (funcionários) também. Ele até tinham um cachorro”.

A saga vivia pelos trabalhadores está no centro do debate migratório e representa um problema econômico em Mount Pleasant e em todos os EUA. No Condado de Henry, onde o índice de desemprego de 2.3% é tão baixo que os empregadores têm dificuldade em preencher 300 vagas de trabalho. Enquanto isso, os profissionais do concreto e seus colegas de trabalho naturais do México e América Central, que foram detidos em 2008, estão aguardando as audiências de deportação e não podem trabalhar enquanto isso.

O funcionário teme perder tudo. “A minha família, emprego, anos de sacrifício e trabalho”, disse ele.

Para Ted Wiley, contratar trabalhadores para a sua pequena companhia de construção em Mount Pleasant tornou-se algo desafiador. Bons funcionários são difíceis de serem encontrados e ele nunca tem certeza se aqueles escolhidos irão aparecer no dia seguinte para trabalhar, mesmo que esteja disposto a treinar e pagar o que ele considera um salário decente.

“É tão difícil atrair pessoas para simplesmente sentar e conversar”, disse Wiley. “Você tem medo de assustá-los. Qualquer coisinha que você faça, eles não aparecem no dia seguinte de trabalho”, relatou.

Como muitas empresas em Iowa, Ted disse que uma solução para a falta crônica de mão-de-obra é encorajar pessoas que residem fora do estado a se mudarem, incluindo imigrantes.

“Eu não tenho dúvidas que existam imigrantes que entram em nosso país e que não deveriam estar aqui. Não há dúvidas sobre isso”, disse ele. “Eu sei que há muitos deles que vêm simplesmente por uma vida melhor para as famílias deles; isso não é diferente para o resto de nós. Até onde eu me interesse, há espaço para eles”.

A série de batidas migratórias ocorrida em 2018 em Mount Pleasant iniciou o debate sobre quem seria permitido viver na comunidade e quem foi o culpado pelo o que aconteceu. Seria culpa dos trabalhadores, por trabalharem ilegalmente, ou as companhias, por contratá-los? Enquanto o impasse continua, a 1ª Igreja Presbiteriana criou uma despensa para ajudar os imigrantes detidos e as famílias deles e uma ONG local, a Iowa WINs, os ajuda financeiramente.

Entretanto, alguns moradores em Mount Pleasant “endureceram o coração” e se posicionaram contra os imigrantes, disse o Reverendo Trey Hegar, pastor da igreja. “Há pessoas que disseram, ‘bem, é isso que você merece’. Se você está aqui ilegalmente ou indocumentado, há pouca compaixão ou compreensão para isso”, concluiu.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend