Brasileira e filho são vítimas de violência doméstica em MA

Foto17 Tiago Maiato  Brasileira e filho são vítimas de violência doméstica em MA
Tiago Maiato foi detido por policiais e compareceu ao tribunal na segunda-feira (6) (Foto: MundoYes.com)
Foto17 Amanda Rodrigues Alves Brasileira e filho são vítimas de violência doméstica em MA
Amanda Rodrigues Alves postou nas redes sociais hematomas sofridos durante a agressão (Foto: MundoYes.com)
Foto17 Porta quebrada Brasileira e filho são vítimas de violência doméstica em MA
Durante o ataque, Tiago Maiato teria quebrado uma das portas da casa da ex-companheira (Foto: MundoYes.com)

Amanda Rodrigues Alves postou nas redes sociais que foi agredida por Tiago Maiato, na noite de sexta-feira (3)

Na noite de sexta-feira (3), Amanda Rodrigues Alves, moradora em Malden (MA), sobreviveu a um drama passado por inúmeras mulheres: A violência doméstica. Ela e um dos 3 filhos foram agredidos pelo ex-companheiro dela, o açoriano Tiago Maiato, com quem tem uma filha. Ela relatou que iniciou o relacionamento com o agressor há cerca de 2 anos e os abusos foram se intensificando gradativamente; primeiro verbalmente e depois fisicamente. As informações são do bloguer Jehozadak Pereira (MundoYes.com).

Amanda utilizou as redes sociais para relatar o caso e alertar outras mulheres sobre o perigo causado pelas relações abusivas.

“Você não saberá o que é dor, até ser vitima dela. E o medo, Meu Deus, nunca chamei tanto pelo teu nome. Meninas, nunca se esqueçam do amor próprio. Na primeira vez que ele te controlar, te empurrar ou até mesmo um tapa seguido do pedido de perdão! Controle com roupa e amizades não é normal! Levei meses para conseguir terminar a relação, porque você quer sair ilesa, aos poucos, para sair sem ferimentos… MESES”, postou ela.

A brasileira detalhou que, mesmo depois do fim do relacionamento, Tiago continuava a persegui-la. “E mesmo estando meses separada, sem ninguém e tocando a vida, vira e mexe o fulano aparecia, me ofendia, quebrava a minha amada casa e EU… deixando que a vida tomasse conta dele! Quem sabe ele aprendia! Hoje, à meia-noite, descobri que ele vigiava a minha casa, sem querer porque pedi uma pizza. Senti coragem depois de 100 agressões físicas e verbais para fazer um boletim de ocorrência… 15 minutos que o policial saiu da minha casa, ele voltou! Voltou para machucar, matar, voltou! Ele quebrou todas as portas da minha casa para chegar ate mim, meus filhos subiram desesperados, fugindo dele, para avisar… foi aonde meu mundo acabou!!! Apanhei e meu filho tentando me defender apanhou. Ele achou que eu estava sozinha, nessa hora você sequer consegue pedir ajuda, você apenas quer se salvar!” Acrescentou ela.

Durante a agressão, Maiato também teria atacado um dos filhos de Amanda, que tentou defender a mãe. Outra filha conseguiu acionar novamente a polícia. “Minha filha conseguiu pedir ajuda e a policia veio, ele fugiu, mas foi encontrado 1 hora depois. Está preso, cumprirá sua pena.. eu nunca achei que me sentiria segura e aliviada com a desgraça de alguém. Não tenho vergonha de dizer, se cuidem, antes ser uma vítima contando sua historia do que estampando capa de jornais! Obrigado, Meu Deus, por dar esse livramento. Me perdoe, meus filhos por fazerem vocês passarem por isso. Vou carregar as marcas físicas e psicológicas desta noite, mas é vida que segue”.

. Álcool e drogas:

Amanda disse que Tiago apresentava comportamento controlador e teria piorado depois que passou a consumir álcool em excesso e drogas.  O ex-companheiro viveria em situação migratória irregular nos EUA há aproximadamente 7 anos. “Ele começou a beber há um ano e também a usar cocaína e quebrava tudo e, quando nos separamos, ele continuou com as agressões. Consegui na Corte um ‘restrinaing order’ (ordem de afastamento) por um ano e meio que terminou no mês de julho. Durante a ‘probation’ (liberdade condicional) ele disse diversas vezes que ia ‘pintar o caneco’, quando acabasse a restrição. Nunca imaginei que as coisas tomassem este rumo”, relatou Amanda.

“Achei que fosse morrer diante da violência a que fui submetida com minha família. Estou machucada e todos ficaram assustados com a violência por parte dele. Ele queria me matar e parecia buscar alguma coisa com que pudesse me atingir e aos meus filhos. Não tenho dúvida de que algo pior poderia ter acontecido se ele tivesse uma arma nas mãos e foi um pesadelo que parecia não ter fim. Ele fugiu e foi preso uma hora depois e será levado à Corte na segunda-feira (6)”, concluiu.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend