Brasileira luta pela vida na espera pelo transplante de fígado na FL

Foto28 Leticia Rosa da Cunha Brasileira luta pela vida na espera pelo transplante de fígado na FL
Letícia Rosa da Cunha está internada no Jackson Memorial Hospital, em Miami (FL) (Foto: Redes sociais)

Letícia Rosa da Cunha foi diagnosticada com cirrose hepática, portanto, necessita de um “transplante inteiro” de fígado

Há várias semanas, Letícia Rosa da Cunha, de 17 anos, natural do município de Mendes Pimentel, na região de Mantena (MG), moradora em Boca Raton (FL), aguarda a possibilidade de um transplante de fígado. Diagnosticada com cirrose hepática nos EUA, a adolescente precisa o mais breve possível de um transplante “inteiro do órgão” para que assim possa recuperar a saúde.

O pai da jovem, Valdinei Antônio da Cunha, de 46 anos, relatou aos jornais locais que ele e a filha cruzaram clandestinamente, há cerca de 3 meses, a fronteira entre o México e os EUA. Durante a travessia, eles foram detidos por agentes da Patrulha da Fronteira (CBP), mas se beneficiaram com a política “Catch & Release” (Pega e solta, em tradução livre), mas, em consequência disso, ambos possuem audiência no tribunal de imigração agendada para 23 de agosto.

Pedreiro experiente, Valdinei não enfrentou dificuldades em conseguir emprego na Flórida, entretanto, devido à doença da filha, ele teve que deixar o trabalho para se dedicar à ela. Atualmente, ela está internada na ala infantil do renomado Jackson Memorial Hospital, em Miami (FL). Exames mais detalhados revelaram que a adolescente sofre de cirrose hepática, portanto, necessitando de um transplante.

. Dificuldades financeiras:

Recentemente, Valdinei foi informado pela administração do hospital que precisa depositar adiantado US$ 500 mil de depósito, pois Letícia não possui seguro de saúde nos EUA e os custos com o tratamento dela são muito altos. Outra opção, segundo alguns especialistas quer cuidam da adolescente, seria retornar ao Brasil e realizar o transplante através do Sistema Único de Saúde (SUS) em metrópoles como Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP), pois, ambas possuem infraestrutura avançada para esse tipo de tratamento no país. Entretanto, para isso possa ocorrer, a jovem terá que estar em condições físicas satisfatórias para suportar a viagem longa. Além disso, a probabilidade de sucesso no procedimento cirúrgico aumenta tremendamente quando o doador é um membro da família devido à predisposição e compatibilidade genéticas.

. Campanha beneficente:

Em virtude disso, no sábado (30), o tio de Letícia, Evandro Silva, morador em Newark, lançou no website GoFundMe.com a campanha beneficente: https://www.gofundme.com/leticia-transferencia-hospitalar, cujo objetivo é angariar US$ 50 mil para ajudar nos custos hospitalares. Até a tarde de terça-feira (5), foram arrecadados US$ 1.660.

“Boa tarde Amigos, gostaria de vir aqui pedir a ajuda de todos vocês. Nós estamos passando por uma situação que jamais imaginaríamos passar. Chegou uma sobrinha minha, Leticia, e o pai dela na Flórida. (Eles) estão aqui há pouco mais de 3 meses e (ela) teve um problema de saúde, foi parar num hospital da Flórida, onde os médicos fizeram os exames e disseram que ela vai ter que fazer um transplante de fígado. Já tem 13 dias que (ela) está internada. O pai dela está sem noção do que fazer, os médicos disseram que (ela) vai ter que ser transferida para o Brasil para fazer o transplante, pois não tem plano de saúde e também precisa achar um doador que seja compatível (fígado inteiro). Eles só mandarão ela para o Brasil se for achado algum doador, enquanto isso, precisa ficar no hospital. O estado de saúde dela é delicado; ela não poder pegar nenhum tipo de vírus devido à imunidade baixa! A transferência dela também é delicada porque (ela) deverá estar medicada para a  viagem e direto para o hospital onde acontecerá o transplante! Peço a ajuda de todos vocês para ajudar-nos a compartilhar esta mensagem para todos seus amigos, pois juntos somos mais fortes. Creio que Deus vai fazer algo por ela; a menina estava cheia de planos, matriculada na escola e aconteceu isso, mas Deus sabe de toda as coisas”, postou Evandro no GoFundMe.com.

Mais informações sobre o estado de saúde de Letícia Rosa da Cunha e a campanha beneficente podem ser obtidas através: Valdinei (USA): (561) 334-7750; Penha (Brasil): 55 (33) 8809-7939; Gessy (Brasil): 55 (33) 8849-6341 e Evandro (USA): (718) 640-8321.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend