Brasileira tenta ajudar conterrânea e é presa pelo ICE

%name Brasileira tenta ajudar conterrânea e é presa pelo ICE
Alice Akemi Fukuda Aragão teve a audiência no tribunal de imigração transferida para a quarta-feira (31) (Foto: GoFundMe.com)

Uma sem-teto mineira acionou a polícia para Alice Akemi Fukuda Aragão alegando que havia sido agredida por ela, em Newark (NJ)

Às vezes, boas ações podem terminar em tragédia. Desde o final de agosto de 2018, os pastores brasileiros Marco Antônio Aragão e Alice Akemi Fukuda Aragão sofrem consequências por terem acolhido um casal de sem-teto na residência deles em Newark (NJ). Segundo o líder religioso, em julho do ano passado, ele tomou conhecimento do caso da filha de uma imigrante brasileira, cujo marido havia sofrido 3 enfartos, que estava dormindo nas ruas da cidade. Comovido, ele acolheu a mulher (o nome foi omitido) na residência dele durante o período de 2 meses, até que, com a ajuda do próprio líder religioso, ela conseguiu um apartamento subsidiado pelo governo (Section 8).

. Caridade vira problema:

Entretanto, logo que a mulher saiu da casa dos pastores, a mãe dela (nome também omitido), de 70 anos, natural de Minas Gerais, e o padrasto dela, um jamaicano de 45 anos, bateram à porta deles pedindo abrigo. Novamente comovidos, os brasileiros também receberam o casal. Uma vez instalados na sala da residência, a senhora começou a implicar com todos os moradores no imóvel e até vizinhos no quarteirão, além de dar ordens, relatou Aragão à equipe de reportagem do BV.

“Ela costumava dizer: ‘Quero ver quem vai me tirar daqui!” Disse Aragão ao BV.

Aragão e a esposa tentaram solucionar o caso na justiça, sem obter sucesso. Em 6 de junho desse ano, a senhora acionou a polícia alegando que Alice a havia agredido fisicamente. Após interrogarem Alice e a senhora que fez a denúncia, eles levaram Alice algemada para a penitenciária em Clifton (NJ), apesar de o incidente ter ocorrido em Newark.  Posteriormente, a senhora retirou a queixa policial contra Alice. Enquanto Aragão tentava a liberação da esposa, agendada para 12 de junho, ele foi informado que ela havia sido transferida para o centro de detenção do Departamento de Imigração (ICE) no Condado de Hudson, em Kearny (NJ).

Ironicamente, o casal de sem-teto ainda permanece na residência do casal de missionários, segundo Aragão. Caso seja liberada, Alice ficará temporariamente no Centro de Capelães em North Arlington (NJ), enquanto aguarda o desfecho do caso.

. Campanhas beneficentes:

Na luta contra o tempo, Aragão conseguiu adiar a audiência da esposa de quarta-feira (10) para quarta-feira (31). Ele detalhou que a fiança para liberar a esposa poderá ser estabelecida entre US$ 10 mil a US$ 15 mil, além dos custos com advogado. Em virtude disso, na quinta-feira (11), ele iniciou no website GoFundMe.com a campanha beneficente: https://www.gofundme.com/f/ajudar-alice-akemi; cujo objetivo é angariar US$ 20 mil. Até à tarde de terça-feira (16), haviam sido arrecadados US$ 595.

Na terça-feira (30), a partir das 7:00 pm, no restaurante Casa Nova Grill, no bairro do Ironbound, em Newark (NJ). Será realizado o jantar beneficente “Libertem a Alice!”. O evento tem o objetivo de angariar verba para o pagamento da fiança da missionária brasileira Alice Akemi Fukuda Aragão, que está presa no centro de detenções da imigração em Kearny (NJ).

O restaurante Casa Nova fica localizado na 264 Ferry St., em Newark. Info.: (862) 754-7632, falar com Marco Antônio.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend