Brasileiro acusado de estupro pode ter fugido dos EUA

Foto12 Brockton Superior Court Brasileiro acusado de estupro pode ter fugido dos EUA
A audiência de Cristiano Lima e Marcos Domingos ocorreu na Brockton Superior Court (detalhe)

Cristiano Lima não compareceu à audiência agendada para quarta-feira (10)

O paradeiro de Cristiano Lima, acusado de ter levado de carro uma mulher embriagada à uma garagem em Abington (MA) e a estuprado, na véspera do Natal em 2018, é desconhecido depois que o réu não compareceu à audiência no tribunal. O brasileiro estava agendado para comparecer, na quarta-feira (10), na Corte Superior de Brockton (MA). Ele foi acusado em maio de sequestro e estupro com agravantes.

Um funcionário no tribunal informou ao juiz que Lima pode ter fugido dos EUA para o Brasil.

Outro réu envolvido no caso do brasileiro, Marcos Domingos, alegou inocência com relação às acusações de sequestro e estupro com agravantes na Corte Distrital de Brockton, em março. Ele foi liberado sem a cobrança de fiança.

Após a audiência preliminar na Corte Superior, Domingos, foi agendado para comparecer ao tribunal na manhã de quarta-feira (10), mas a sessão foi suspensa porque as autoridades não conseguiram encontrar um tradutor de português.

Domingos é acusado de ter feito sexo com a vítima na mesma noite que Lima a teria estuprado; uma acusação que ele nega.

A Corte Distrital de Brockton não divulgou dados do Departamento de Polícia detalhando o suposto estupro.

. Caso recente:

O Departamento de Polícia de Framingham informou que um banhista tocou nas partes íntimas de uma criança de 4 anos, na quinta-feira (4), quando eles nadavam num reservatório no Ashland State Park, em Massachusetts. Os agentes prenderam Aderlande Soares, de 46 anos, natural de Governador Valadares (MG), morador em Framingham (MG), às 4:07 da tarde, detalhou o chefe de polícia interino, Vincent Alfano, na sexta-feira (5).

A menina de 4 anos nadava quando Soares teria nadado na direção dela e agarrou “as partes íntimas” dela, disse o chefe de polícia. As informações são do canal de TV local WCVB-5.

A criança saiu da água e relatou a mãe dela o ocorrido, que contatou um funcionário do Departamento de Conservação & Recreações (DCR), que notificou a polícia local. O brasileiro foi detido pouco tempo depois.

Na sexta-feira (5), durante a audiência na Corte Distrital de Framingham, o Juiz David Cunis determinou a fiança de Soares em US$ 1.500 depois que ele alegou inocência. Ele deverá pagar a fiança, mas não foi liberado até segunda-feira (8), quando um monitor GPS estava disponível.

A mãe e a criança não conhecem Soares, disse Alfano. Outra mulher que não tem ligações com o réu ou a mãe da menina disse à polícia tê-lo visto tocar inapropriadamente na menor.

“Ela disse que ele (Soares) aproximou-se dela (criança)”, disse Alfano. “Ele a agarrou e ela imediatamente saiu da área de natação”.

O chefe de polícia acrescentou que a praia estava cheia devido ao feriado de 4 de julho e haviam muitos policiais no local para ajudar no tráfego e controle da multidão. Soares, residente na Clinton St., foi acusado de ataque indecente e agressão envolvendo uma menor de 14 anos. Alfano informou que o incidente ainda está sob investigação. “Há ainda investigações posteriores que precisam ser realizadas”, disse ele.

O Juiz Cunis determinou que o réu mantivesse distância da menina e da família dela, assim como do Ashland State Park.

:

Related posts

Comentários

Send this to a friend