Brasileiro acusado de tentativa de homicídio é deportado pela 5ª vez dos EUA

Foto13 Agentes do ICE Brasileiro acusado de tentativa de homicídio é deportado pela 5ª vez dos EUA
Antes de quarta-feira (29), Simeão Marcos de Oliveira havia sido deportado dos EUA 4 vezes, entre 2006 e 2016, informaram as autoridades migratórias (Foto: ICE)

Simeão Marcos de Oliveira era procurado no Brasil por tentativa de assassinato e porte ilegal de armas

Na quarta-feira (29), Simeão Marcos de Oliveira foi deportado dos EUA e enviado ao Brasil, onde ele é acusado de tentativa de homicídio e posse ilegal de arma, informou o Departamento de Imigração (ICE). As autoridades prenderam o brasileiro na cidade de Plymouth (MA), em 2 de novembro, ou seja, 2 semanas depois de terem sido informadas que Neto era acusado de crimes. O ICE não detalhou quando ou onde a prisão do foragido ocorreu.

Antes de quarta-feira (29), Simeão havia sido deportado dos EUA 4 vezes, entre 2006 e 2016, informaram as autoridades migratórias.

“Nós estamos satisfeitos de ter removido essa ameaça à nossa comunidade, especialmente devido ao histórico repetitivo e perturbador de entradas clandestinas em nosso país”, disse Todd M. Lyons, diretor do Setor de Operações de Remoção & Cumprimento das Leis do ICE em Boston (MA).

Lyons detalhou que a localização e captura do brasileiro foi o resultado da colaboração do ICE com países estrangeiros. “Fugitivos estrangeiros devem prestar atenção. Eles não encontrarão refúgio aqui”, concluiu.

. Outro foragido da justiça foi deportado

No final de abril de 2019, o Departamento de Polícia de Brockton (MA) informou a prisão de um estuprador brasileiro que vivia clandestinamente na cidade há vários anos. As autoridades locais auxiliaram o Departamento de Imigração (ICE) na detenção de Flávio Andrade Prado Jr., de 40 anos, na manhã de quinta-feira, 25 de abril. As informações são do jornal The Enterprise.

A polícia detalhou que foi contatada por um agente do Departamento de Segurança Nacional (DHS) e informada que havia um estrangeiro foragido vivendo no município. Em decorrência disso, os detetives iniciaram uma investigação e descobriram o endereço do suspeito, na Copeland St. As autoridades detalharam que Flávio havia sido preso no Brasil em 2002, após ser condenado por estupro. Ele escapou da prisão em maio de 2008 e desde então não havia sido encontrado.

“Para removê-lo, foi necessária a cooperação de dois detetives do Departamento de Polícia der Brockton com o ICE para localizá-lo e efetuar a prisão”, disse o prefeito Bill Carpenter.

“Em 25 de abril, agentes especiais do Setor de Investigações de Segurança Nacional (HSI), subordinado ao Departamento de Imigração (ICE), e do Setor de Operações de Remoção (ERO) prenderam Flávio Andrade Prado Jr., cidadão brasileiro, que estava ilegalmente nos Estados Unidos, numa residência em Brockton, por violações das leis migratórias”, disse John Mohan, porta-voz do ICE. “Além disso, ele é procurado pelas autoridades brasileiras por acusações criminais. Prado ficará sob a custódia do ICE, enquanto aguarda o processo de deportação”.

Bill disse acreditar que tal cooperação não seria possível caso a ordenança proposta apresentada pelo Comitê Municipal, apoiada pelos conselheiros Moisés Rodrigues e Jean Bradley Derenoncourt. Ele prometeu vetar a ordenança, a qual ele considera uma política “cidade-santuário”, se ela for aprovada pelo Conselho Municipal.

Apoiadores defendem que o objetivo da ordenança é aplacar o medo dos imigrantes indocumentados que vivem na cidade, prometendo que a polícia e o Distrito Escolar não oso denunciem às autoridades federais para deportação.

“A ordenança de Brockton Unida não é uma ordenança de cidade santuário. Ela tem sido distorcida pelo Prefeito”, disse Derenoncourt. “O principal objetivo dessa ordenança é fortalecer a confiança entre as autoridades locais e os residentes. A ordenança não afeta o que já é lei, ou seja, se alguém cometer um crime, não importa quem, enfrentará as acusações”.

Entretanto, Carpenter e outros legisladores municipais demonstraram preocupação de que a ordenança permita que criminosos perigosos que vivem ilegalmente nos EUA continuem a residir em Brockton.

“Se essa ordenança de cidade santuário estivesse em vigor, a polícia estaria proibida de ajudar o ICE e assim garantir a prisão desse indivíduo. Este é um indivíduo acusado de estupro, preso no Brasil, escapa e acaba vivendo em Brockton”, disse Carpenter. “A minha responsabilidade número 1 é a segurança pública. Ninguém pode me convencer que a cidade não está mais segura hoje do estava ontem, antes de ele ter sido preso. Caso tal ordenança estivesse em vigor, isso não teria acontecido”.

Derenoncourt, que disputa com Carpenter a reeleição para prefeito, disse que a ordenança tem o objetivo de ajudar a polícia.

“O objetivo aqui é garantir que se alguém foi abusado ou queira denunciar gangues ou assuntos envolvendo drogas, eles possa pegar o telefone e ligar para a polícia sem pensar duas vezes com relação ao status migratório”, disse Derenoncourt.

O Chefe de Polícia John Crowley frisou que a cooperação entre o departamento dele e as autoridades federais foi fundamental na prisão do suspeito. Carpenter disse temer que mais pessoas como Prado mudem-se para a cidade, caso a ordenança seja aprovada.

“Este indivíduo buscou refúgio em Brockton”, disse John na ocasião. “Se eles aprovarem essa ordenança cidade-santuário, não faz sentido assumir que outras pessoas como ele venha e procurem santuário em Brockton, caso a polícia não possa cooperar com o ICE?”

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend