Brasileiro detido pelo ICE denuncia descaso vivido na prisão

Foto2 Luiz Phillipe Silva  Brasileiro detido pelo ICE denuncia descaso vivido na prisão
Luiz Phillipe de Lima e Silva se entregou às autoridades e aguarda a deportação em Massachusetts. Ele teve contato com J.L. na prisão (Foto: Facebook)

O paulista J.L. está em processo de legalização, mas mesmo assim foi localizado e detido por agentes federais de imigração

Nas últimas 2 semanas, a luta para conquistar o sonho americano virou pesadelo para J.L., natural de São Paulo, durante o período em que ficou detido num centro do Departamento de Imigração (ICE), em Dartmouth (MA). Apesar de estar em processo de legalização nos EUA, após casar-se com uma brasileira naturalizada americana, ele foi preso em 28 de março pelas autoridades migratórias. O incidente foi decorrente de uma aplicação anterior para a obtenção da  residência permanente (green card), também através de casamento, que na ocasião não foi levada adiante e arquivada. As informações são do jornal Brazilian Times.

“Mesmo assim, os oficiais me disseram que o meu nome fica nos registros”, disse J.L. ao BT.

O brasileiro foi liberado na segunda-feira (10) e relatou o descaso sofrido durante o tempo em que ficou detido. Ele relatou que inúmeros imigrantes, incluindo conterrâneos, ficam muito tempo no local enquanto esperam a deportação. J.L. detalhou o caso de um detento chinês que apresenta problemas mentais e está preso e abandonado há 120 dias no local. No centro de detenção, ele teve contato com os brasileiros Acemar Damaceno, preso na sexta-feira (7), e o carioca Luiz Phillipe de Lima Silva, de 20 anos, que se entregou às autoridades migratórias, no final de fevereiro.

J.L. aproveitou a oportunidade e alertou os imigrantes, documentados e não sobre a postura severa da nova administração Trump. Ele relatou ter visto vários brasileiros portadores do green card, acusados ou condenados de violência doméstica e dirigir intoxicado (DUI), que estão processo de deportação.

“A imigração não está de brincadeira”, disse ele.

Após ser liberado, J.L. contatou o Consulado Geral do Brasil em Boston, na manhã de terça-feira (11),  e comunicou o estado de abandono vivido por Luiz phillipe. Na tarde do mesmo dia, um funcionário consular, que se identificou como Eder, se comprometeu a ajudar. Pouco depois, Luiz Phillipe ligou para J.L. informando-lhe que o Consulado o havia contatado e que a documentação necessária para retornar ao Brasil estava sendo providenciada.

“Eu não consigo entender por que a justiça americana segura um imigrante por tanto tempo. Se eles não querem essas pessoas no país, que agilizem a deportação, pois cada dia trancafiado em uma prisão, destrói nosso (estado) psicológico e nos torna cada vez mais fracos para enfrentar a vida aqui fora”, relatou ele ao BT.

 

 

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to a friend