Brasileiro é acusado de matar ex-cabeleireiro de CR7 na Suíça

Foto25 Ricardo Marques Ferreira e Cristiano Ronaldo  Brasileiro é acusado de matar ex cabeleireiro de CR7 na Suíça
Ricardo era cabeleireiro, maquiador e teve entre seus clientes famosos o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, também conhecido como “CR7” (Foto: Instagram)
Foto25 Ricardo Marques Ferreira e Cristiano Ronaldo Brasileiro é acusado de matar ex cabeleireiro de CR7 na Suíça
Ricardo Marques Ferreira era natural da ilha da Madeira e teria conhecido o brasileiro suspeito do crime num bar gay (Foto: Instagram)

Ricardo Marques Ferreira, natural da ilha da Madeira, foi encontrado morto no quarto de um hotel em Zurique, na tarde de sexta-feira (1)

No final de semana, as autoridades em Zurique, Suíça, localizaram e prenderam um brasileiro, de 39 anos, suspeito de envolvimento no assassinato do cabeleireiro português Ricardo Marques Ferreira, de 49 anos, num quarto de hotel. A vítima foi encontrada esfaqueada por uma camareira que entrou para arrumar o quarto, depois do meio-dia, na sexta-feira (1).

Ricardo era cabeleireiro, maquiador e teve entre seus clientes famosos o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, também conhecido como “CR7”, do time Juventus, além de atrizes e modelos. Ele vivia na Suíça desde 2017 e deixou 2 filhos maiores de idade. As autoridades locais ainda investigam a ligação que o suspeito teria com a vítima. No sábado (2), a polícia rastreou e encontrou o brasileiro na residência dele.

Durante a investigação, hóspedes relataram ter ouvido “muito barulho” na noite anterior ao crime. No quarto, os agentes perceberam um cheiro forte de álcool. A rua onde fica localizado o hotel, a Letzigraben, foi fechada completamente para a circulação de veículos. O crime abalou a região, numa das cidades consideradas as mais seguras do continente europeu.

Na busca pelo suspeito, as investigações foram conduzidas pela Polícia Cantonal de Zurique, Instituto Forense de Zurique, o Instituto Forense da Universidade de Zurique e o Ministério Público para Crimes Violentos Graves.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil (Itamaraty) pediu ao governo suíço mais informações sobre a identidade do brasileiro detido. Entretanto, segundo as normas suíças, uma visita diplomática ao suspeito somente poderá ocorrer caso ele a solicite.

. Sobre a vítima:

Ricardo, também conhecido pelo apelido de “Cajó”, era natural da ilha da Madeira, mesmo local de nascimento de CR7, morava na Suíça há 2 anos e estava hospedado no hotel onde foi assassinado há 2 semanas. As autoridades ainda investigam a relação entre a vítima e o suspeito. O corpo do cabeleireiro apresentava sinais claros de violência e havia marcas de sangue espalhadas por todo o local, indicando algum tipo de confronto físico. Inicialmente, os investigadores avaliaram a possibilidade de a vítima conhecer o assassino ou permitido que ele entrasse no quarto. Segundo alguns veículos de comunicação lusitanos, Ricardo teria conhecido o brasileiro num bar gay.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend