Brasileiro pega 2.5 anos de prisão por clonagem de cartões em MA

Foto13 Alexandre Kawamura  Brasileiro pega 2.5 anos de prisão por clonagem de cartões em MA
Alexandre Kawamura, de 43 anos, clonava cartões de crédito e débito em Massachusetts quando foi preso (Foto: Redes sociais)

Alexandre Kawamura será posto em processo de deportação depois de ter cumprido a sentença

Na quinta-feira (9), Alexandre Kawamura, de 43 anos, foi sentenciado pelo Juiz Leo T. Sorokin, da Corte Federal de Boston (MA), a 2.5 anos de prisão, 3 anos de liberdade condicional e ressarcimento de US$ 199.078. Em fevereiro desse ano, o réu assumiu a culpa com relação às duas acusações de uso de material clonado (cartões de crédito e débito), 4 acusações por posse de equipamento para clonagem (copiadora e câmeras) e 2 acusações de roubo de identidade com agravantes. O brasileiro entrou nos EUA com visto de turista e será posto em processo de deportação depois de ter cumprido a sentença. As informações são da Procuradoria Geral de Justiça do Distrito de Massachusetts.

Kawamura instalou copiadoras e câmeras em caixas eletrônicos do Eastern Bank nas cidades de Saugus, Stoneham, Medford e Everett (MA) todos os dias entre 25 de fevereiro e 16 de março de 2018, quando foi preso. O propósito dos aparelhos era gravar as informações bancárias contidas nas tarjas magnéticas dos cartões de crédito e débito que as vítimas inseriam nos caixas eletrônicos. O objetivo das câmeras era filmar a senha das vítimas quando elas digitavam no teclado da máquina.

Em 8 de março de 2018, Alexandre portava um cartão de débito clonado que continha as informações de uma mulher moradora em Milton. Num caixa eletrônico em Malden, ele usou o cartão para sacar US$ 500 da conta bancária dela.

Em 16 de março de 2018, Kawamura usou um cartão de crédito clonado para comprar roupas numa loja de esportes em Medford. O nome no cartão era falso e a tarja magnética continha os dados da conta bancária de um homem residente em Medford, cujos dados foram clonados no dia anterior.

Kawamura foi preso em 16 de março depois que um cliente telefonou à polícia para denunciar que ele encontrou um aparelho de clonagem num caixa eletrônico numa filial do Eastern Bank em Stoneham. Os policiais foram ao local e descobriram uma câmara ainda acoplada ao caixa eletrônico. Eles vigiaram o local e esperaram para que o suspeito retornasse para resgatá-la. Alexandre chegou ao local num carro alugado pouco antes das 11 horas da noite. Ele pareceu procurar o equipamento de clonagem e, então, foi embora. Agentes do Departamento de Polícia de Stoneham pararam o carro e descobriram que o motorista portava um passaporte brasileiro e que ele tinha alugado o veículo utilizando um nome diferente. Ele portava o cartão de crédito clonado que usou para comprar roupas na loja de esportes.

Antes de clonar cartões em Massachusetts, Kawamura agiu em caixas eletrônicos nas regiões de Austin e San Antônio (TX). Ele foi filmado por câmeras de segurança por caixas eletrônicos na University Federal Credit Union e Randolph Brooks Federal Credit Union em novembro e dezembro de 2017.

O Procurador Geral de Justiça Andrew E. Lelling Joseph R. Bonavolonta, agente especial do FBI na jurisdição de Boston, divulgaram o caso. A promotora pública assistente, Christine Wicher, da Unidade de Crimes Graves, foi responsável pelo caso.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend