Brasileiro pega prisão perpétua por chacina de parentes

Foto18 Patrick Nogueira  Brasileiro pega prisão perpétua por chacina de parentes
O brasileiro Patrick Nogueira foi condenado a quatro prisões perpétuas na Espanha
Foto18 Marcos Campos Nogueira Janaina Santos Maria Carolina e Davi Brasileiro pega prisão perpétua por chacina de parentes
Marcos Campos Nogueira, Janaína Santos, Maria Carolina e Davi foram mortos por Patrick Nogueira

O paraibano Patrick Nogueira matou a facada o casal de tios e os 2 primos, de 1 e 4 anos na Espanha

Na quinta-feira (15), um juiz na Espanha condenou a 3 prisões perpétuas o paraibano Patrick Nogueira, de 21 anos, por ter matado à facadas o tio, Marcos Campos Nogueira, a tia, Janaína Santos, e 2 primos menores, Maria Carolina e Davi. O julgamento ocorreu na região de Guadalajara, nos arredores de Madri, onde o brasileiro foi considerado culpado das acusações de homicídio premeditado das 4 vítimas. Ele foi considerado culpado no início de novembro e a sentença foi lida nessa semana.

Os tios de Nogueira tinha em torno de 40 anos de idade e os primos 1 e 4 anos quando ocorreu a chacina em 2016. Na ocasião, o assassino tinha 19 anos. O paraibano confessou os crimes, mas alegou que estava mentalmente perturbado e sofria de alcoolismo.

Os promotores públicos detalharam que Patrick esquartejou os tios com tesouras de podar árvores. Um mês depois, os vizinhos reclamaram de um mau cheiro que emanava da casa em Guadalajara. No interior, as autoridades encontraram sacos plásticos, os quais Nogueira havia levado com ele, contendo os cadáveres.

Ainda segundo os promotores públicos, Nogueira é um psicopata, pois planejou a chacina e até levou sacos plásticos com ele. Eles detalharam que o réu, que chegou à Espanha no início de 2016, enviou a um amigo no Brasil, Marvin Henriques Correia, através do WhatsApp, mensagens sobre os assassinatos e fotos dos corpos antes e depois da chacina

Através de um comunicado por escrito, a juíza disse ao réu que o condenava à prisão perpétua por cada criança assassinada porque ele demonstrou crueldade excepcional. As crianças testemunharam a morte da mãe.

Patrick foi condenado a 25 anos de detenção pelo assassinato do tio, uma pena comum, entretanto, prisão perpétua pela morte do tio porque a vítima era o segundo adulto morto no caso, o que nas leis espanholas exige a aplicação da prisão perpétua. No caso do brasileiro, a sentença será revisada a cada 25 anos.

O tribunal detalhou que a inexistência de ferimentos de defesa nos corpos dos dois adultos indica que Nogueira os atacou sem aviso com a faca que ele havia comprado vários dias antes. A juíza rejeitou o argumento do réu de que ele estava mentalmente perturbado. O julgamento contra Nogueira começou em 25 de outubro e se prolongou até o dia 31. Mais de meia centena de testemunhas, peritos e guardas civis passou por uma sala de depoimentos da Audiência (tribunal) Provincial de Guadalajara onde foram esquadrinhados os detalhes de um dos “crimes mais pavorosos, horríveis e terríveis” cometidos na Espanha, de acordo com a promotoria. Os guardas civis e os forenses judiciais aproveitaram suas falas para desmontar as duas principais teses da defesa. Segundo suas exposições, o acusado não colaborou para a resolução do crime, somente se entregou quando se viu encurralado, frisaram e não possui nenhum dano cerebral que predetermine sua conduta e o impeça de se controlar.

Os promotores públicos envolvidos no caso descreveram Patrick como psicopata. A advogada de defesa do brasileiro disse que apelará a sentença.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend