Brasileiros esperam mais tempo em processo de naturalização

Foto3 John Parker Ava e esposa Barbosa Brasileiros esperam mais tempo em processo de naturalização
O brasileiro John Barbosa, a esposa americana e os filhos Parker e Ava
Foto2 Ana Nunn Brasileiros esperam mais tempo em processo de naturalização
A brasileira Ana Nunn naturalizou-se americana em 13 de agosto

Ana Nunn e os 2 filhos esperaram tempo extra no processo de naturalização e renovação do green card

Enquanto o Departamento de Cidadania & Serviços Migratórios (USCIS) processava a aplicação da brasileira Ana Nunn, o green card dela venceu. Responsável por 2 filhos e com pouco dinheiro, ela imigrou aos EUA em 1997, quando o então marido dela recebeu o visto de trabalho H-1B. Uma vez que os cônjuges dos portadores de visto H-1B não podem trabalhar, Ana ficava em casa e cuidava das crianças, no Alabama. Na ocasião, Nunn relatou que o marido começou a agredi-la fisicamente, então, ela decidiu conquistar o sonho americano para e os filhos. Mesmo quando tudo o que ela tinha era um colchão, a roupa das crianças e uma televisão emprestada por um amigo, ela procurou não se envolver em problemas.

“Eu conheci algumas pessoas que me disseram, ‘oh, você pode conseguir um (número) Seguro Social”, disse ela. “Não, eu não vou usar o número do Seguro Social de outra pessoa para tentar conseguir emprego porque é ilegal. Eu não faço coisas ilegais”.

Ela iniciou um caminho longo rumo à cidadania americana. O processo, conhecido como naturalização, exige que os imigrantes sejam residentes legais permanentes (green card) por pelo menos 5 anos. Esse tempo é encurtado se o imigrante permanece casado com um cidadão americano nato ou naturalizado.

O 2º marido de Ana, um cidadão americano, pagou quase US$ 2 mil em tarifas para que ela obtivesse o green card em 2007, detalhou. A residência permanente permitiu que ela trabalhasse legalmente. Semanalmente, Ana trabalhou em dois empregos: O 1º turno numa cafeteria, das 5:00 am à 1:00 pm, e, então, como caixa de uma loja, das 2:00 pm às 33:30 pm. Na ocasião, ela vendeu o automóvel para pagar o green card dos filhos, que custaram também cerca de US$ 2 mil cada.

Os green cards são válidos por 10 anos. Durante esse tempo, a brasileira pensou em naturalizar-se, mas ela não esperava que o processo demorasse tanto tempo, um período que os ativistas denominam “segundo muro”. Apesar de o escritório do USCIS em Montgomery (AL) ter verificado o declínio de aplicações  de 835 no último quadrimestre de 2017 para 797 no 1º quadrimestre do ano fiscal de 2018, o acúmulo aumentou 213% para 4.727 em 2018.

Quando Ana enviou a aplicação para a naturalização em abril de 2017, o advogado dela a informou que o processo estaria concluído até o green card dela vencesse em setembro seguinte. Entretanto, com a chegada de setembro, nada havia ainda acontecido. O teste dela para a cidadania ocorreu em julho de 2018 e em 13 de agosto ela participou da cerimônia de naturalização em Montgomery (AL).

“A minha vida foi construída nesse país. Após 20 anos, eu não tenho planos de retornar ao Brasil. Este é o meu lar”, disse Nunn. “Eu apliquei para a cidadania porque não queria me preocupar em acordar um dia e descobrir a aprovação de uma lei que tiraria o meu green card”.

Em junho, a filha de Ana se naturalizou americana no Tennessee. O filho dela, John Barbosa, de 27 anos, esperou pouco mais de 1 ano para receber o green card renovado. Embora qualificasse para a cidadania, ele preferiu esperar para acelerar o processo de adoção da filha da esposa, Ava, de 5 anos. A menina cresceu sendo criada pelo brasileiro, quando ele e a mãe dela iniciaram o relacionamento amoroso desde que tinha 3 meses de idade. Enquanto crescia, a menina aprendeu a compartilhar o amor pelo baseball e futebol. Pai e filha são fãs inveterados do time da Universidade do Alabama.

“Depois que o seu cartão expira, você se sente um pouco vulnerável, mesmo que tenha feito sempre a coisa certa”, disse ele. “Com tudo que vem acontecendo na nação nesse momento, a situação é um pouco preocupante”.

“Com todas essas coisas que vêm acontecendo no ambiente político, você não sabe o que acontecerá”, acrescentou Barbosa. “Eles podem parar o seu carro na rua e você portar um green card vencido. Não importa quantas cartas da imigração você mostre. Não há nada que você possa fazer com relação a isso. Na realidade, você está vivendo pela fé”.

O USCIS explicou que o status de um residente legal permanente nunca expira. Caso o green card vença, o status migratório permanece o mesmo. Os imigrantes não podem ser deportados devido a um green card vencido, segundo as autoridades.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend