Carcereiros agirão como agentes de imigração na Flórida

Foto30 Ron DeSantis Carcereiros agirão como agentes de imigração na Flórida
“O Secretário Mark Inch tem obtido bastante progresso no relacionamento dele com o ICE, portanto, seguiremos em frente com esse programa”, disse o Governador Ron DeSantis

Atualmente, Arizona, Massachusetts e Geórgia são os únicos estados que assinaram contratos de colaboração com o ICE

A Flórida prepara-se para treinar carcereiros para atuarem como agentes do Departamento de Imigração (ICE) numa penitenciária estadual, como parte de um programa implantado pelas autoridades migratórias. A decisão foi “revista e aprovada” pelo Conselho Federal e o estado agora “espera a notificação oficial do Memorando de Acordo do ICE”, confirmou o Departamento Penitenciário da Flórida, na sexta-feira (22).

“O Secretário Mark Inch tem obtido bastante progresso no relacionamento dele com o ICE, portanto, seguiremos em frente com esse programa”, disse o Governador Ron DeSantis.

A pressão para a participação no programa, conhecido como 287(g), foi feita a primeira vez em abril. Na ocasião, Inch pediu à uma autoridade de alto escalão do ICE para aprovar o programa no Northwest Florida Reception Center no Condado de Washington. Ele alegou que isso permitiria à agência “identificar e autuar estrangeiros criminosos que representam risco à segurança pública na Flórida”.

Como parte do programa, Inch detalhou que 5 carcereiros seriam treinados por agentes federais de imigração e designados para identificar imigrantes indocumentados que são autuados na penitenciária. Ele acrescentou que o estado “usaria um de seus melhores esforços “ no funcionamento do programa. A aprovação preliminar do estado na participação no programa é ao esforço  mais recente da administração DeSantis de combater a imigração clandestina no estado. Em 2018, o Governador recebeu o apoio importante do Presidente Donald Trump na disputa pelo cargo e, desde então, abraçou a posição linha dura do líder da nação no que diz respeito às políticas migratórias, incluindo o ataque as cidades-santuário.

“Eu acredito que a segurança pública é importante para manter a melhor qualidade de vida em nossas comunidades e por isso estou muito satisfeito que a Legislatura deu-me a proposta (contra) da cidade-santuário, a qual eu assinei e virou lei”, disse DeSantis na sexta-feira (22).

Conforme tal lei, os órgãos locais de segurança devem manter os imigrantes indocumentados detidos 48 horas a mais para que os agentes federais possam enviar ordens de prisão. Entretanto, ativistas defensores dos direitos dos imigrantes têm se oposto à política migratória de DeSantis.

“Transformar os nossos funcionários estaduais em agentes do ICE à custas dos contribuintes da Flórida não tornará o nosso estado  mais seguro”, disse Casey Bruce White, diretora de comunicações do American Civil Liberties Union (ACLU) da Flórida.

Os membros da ACLU e outros ativistas argumentam, em parte, que as políticas contra as cidades santuários forçarão os governos locais a realizarem as obrigações dos agentes federais de imigração. Além disso, eles alertam que tais políticas poderiam levar ao preconceito racial. Atualmente, Arizona, Massachusetts e Geórgia são os únicos estados que assinaram contratos de colaboração com o ICE.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend