Christie acusa Trump de ter “más companhias”

Foto26 Donald Trump e auxiliares Christie acusa Trump de ter “más companhias”
Na obra, Christie frisou que Trump trouxe um “informante russo e futuro detento federal, Michael Flynn”, como o conselheiro de segurança nacional

O ex-governador de New Jersey citou no livro “Let Me Finish” que o Presidente havia prometido contratar somente “as melhores pessoas”

O Presidente Donald Trump se cerca de “más companhias”, segundo o antigo líder da equipe de transição, Chris Christie. “O Donald necessita urgentemente de pessoas certas em volta dele e uma estrutura sólida instalada. É com frequência demais que ele termina rodeado de más companhias”, segundo um trecho do livro do antigo governador de New Jersey, “Let Me Finish” (Deixe-me terminar, em tradução livre), obtido pelo website Axios.com, na segunda-feira (21).

Quando Trump concorria à presidência em 2016, o então apresentador de reality show prometeu “contratar as melhores pessoas”. Conforme Christie, o Presidente fez qualquer coisa, menos isso. Em sua obra, Christie frisou que Trump trouxe um “informante russo e futuro detento federal, Michael Flynn”, como o conselheiro de segurança nacional dele, o “ambicioso” Scott Pruitt para liderar o Departamento Nacional de Proteção Ambiental e o “despreparado” Jeff Sessions para atuar como Procurador Geral de Justiça.

Christie acrescentou a antiga participante do reality show “The Apprentice”, Omarosa Manigault, à lista, embora ele nunca tivesse certeza qual era a função exata dela no novo governo. Em defesa do Presidente, ele elogiou a contratação da gerente de campanha Kellyanne Conway e o secretário do Tesouro Nacional, Steven Minuchen.

A temporada de Christie na nova administração também foi breve. Apesar de ter sido convocado para liderar a equipe de transição de Trump, ele foi desligado no dia seguinte à eleição. Ele detalhou que a notícia chegou a ele através do  “estrategista chefe” de Trump, Steve Bannon, que deixou a administração em agosto de 2017, após os protestos ocorridos em Charlotesville (VA). Bannon é uma figura popular entre os direitistas raciais.

Ainda segundo Christie, Bannon estava acatando uma ordem dada pelo genro de Trump, Jared Kushner, cujo pai ele enviou para a prisão quando atuava como promotor público federal do Distrito de New Jersey. Na ocasião Charles Kushner foi sentenciado a 2 anos de detenção por sonegação de impostos e violação das leis eleitorais em 2005.

No geral, segundo Christie, a administração Trump foi uma “porta giratória de indivíduos com defeitos profundos, amadores, interesseiros, fracos, criminosos condenados e não condenados que receberam cargos os quais nunca estiveram preparados para exercer”.

O livro “Let Me Finish” será lançado na terça-feira (29).

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend