Comparsa de brasileiro é condenado por tráfico sexual em RI

Foto12 Reysean Williams Comparsa de brasileiro é condenado por tráfico sexual em RI
Reysean Williams, de 28 anos, foi considerado culpado de prostituir uma jovem de 17 anos

O réu Reysean Williams, comparsa de Leonardo Gomes, de 20 anos, foi sentenciado a 10 anos de prisão numa penitenciária federal

Na quinta-feira (9), o supervisor de uma casa de jovens contratado pela Divisão de Adolescentes, Crianças e Famílias (DCYF) que diversas vezes traficou uma adolescente de 17 anos desaparecida foi sentenciado a 10 anos de prisão. A pena foi anunciada pelo promotor público federal, Aaron L. Weisman, o agente especial do Setor de Investigações do Departamento de Defesa  Nacional, Peter C. Fitzhugh, e o chefe de polícia em Cranston (RI), Michael J. Winquist.

Segundo documentos apresentados no tribunal, em março e abril de 2017, Reysean Williams, de 28 anos, com a ajuda do brasileiro Leonardo Gomes, de 20 anos, morador em Pawetucket, transportou para sexo a jovem de 17 anos em Rhode Island, Massachusetts, Long Island (NY), postando anúncios e fotos da vítima no website Backpage.com. Tais anúncios foram descobertos pelo Setor de Investigações do Departamento de Segurança Nacional e detetives do Departamento de Polícia de Cranston.

Williams conheceu Gomes quando ele era supervisor do grupo residencial em Pantucket e contratado para prover serviços ao DCYF. Após Gomes ter sido liberado da custódia do DCYF, Williams recrutou o jovem para participar da operação de tráfico sexual. William utilizava a caminhonete do grupo residencial para se encontrar com Gomes e recolher o dinheiro que a jovem de 17 anos ganhava pela prostituição.

Para descobrir onde a jovem de 17 anos era traficada, agentes ligaram para o número do telefone listado nos anúncios postados no Backpage.com para marcar um encontro num apartamento indicado pela polícia de Cranston. A vítima e uma companheira foram detidas quando chegaram ao apartamento. Já Leonardo foi encontrado sentado no interior de um veículo estacionado do outro lado da rua e também preso. Williams foi localizado e detido 1 semana depois.

A investigação revelou que no início de março de 2017, a vítima conheceu Williams e concordou “trabalhar” para ele como forma de ganhar dinheiro. Ela relatou aos investigadores que desde meados de março a meados de abril ela geralmente realizava 6 encontros por dia, algumas vezes até 10. Ela disse aos detetives que geralmente Leonardo a dirigia até os locais dos encontros na região metropolitana de Providence e em Massachusetts num veículo fornecido por Williams. Além disso, a vítima foi transportada a North Shore of Boston e Long Island para se prostituir. Os quartos de hotéis eram pagos em cheque por Williams. Todo o dinheiro recebido pela adolescente era entregue a Gomes e Williams, nenhuma quantia era compartilhada com a vítima.

Reysean Williams assumiu a culpa em 30 de novembro de 2018 com relação à acusação de tráfico sexual de menor. Ele foi condenado a 10 anos numa penitenciária federal e 5 anos de liberdade condicional. Em 30 de novembro de 2018, Leandro Gomes assumiu a culpa em atravessar entre estados com a intenção de se envolver em atividade sexual criminosa. Em 15 de março de 2019, ele foi sentenciado a 3 anos de prisão e 10 anos de liberdade condicional.

Os casos foram responsabilidade dos promotores de públicos, Terrence P. Donelly e John P. McAdams.

Related posts

Comentários

Send this to a friend