Correio atrasa entrega da renovação do DACA e DREAMer é preso

Foto7 Osman Aroche Enriquez Correio atrasa entrega da renovação do DACA e DREAMer é preso
Osman Enriquez dirigia com a carteira de motorista vencida por não ter conseguido renovar o DACA (Foto: GoFundMe.com)

O USCIS recebeu a aplicação de Osman Enriquez em 10 de outubro, ou seja, 3 semanas depois que ele a enviou e 5 dias após o prazo

Um indivíduo beneficiado pelo programa Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), cuja entrega da aplicação para renovação foi atrasada pelos Correios, está detido sob a custódia do Departamento de Imigração (ICE) na Pensilvânia. Osman Aroche Enriquez foi preso por agentes do ICE na manhã de segunda-feira (11) depois de uma para de rotina no trânsito. Ele é um dos aproximados 12 mil imigrantes que perderam a proteção do DACA desde que a administração começou a cancelar o programa em setembro.

Enriquez é um beneficiário típico do DACA. Ele tem 27 anos, é natural da Guatemala, graduou-se na escola secundária em Lancaster (PA) e atualmente trabalha como pedreiro. Ele havia sido condenado por uma “ofensa sumária” (um delito pequeno) ainda na juventude, não sendo suficiente para que ele não qualificasse para o DACA. A noiva dele possui o green card e o filho do casal, embora ainda não tenha 1 ano de idade, nasceu nos Estados Unidos.

Quando a administração Trump anunciou em 5 de setembro que cancelaria o DACA, a permissão de trabalho de Enrique expiraria em pouco  mais de 1 mês, em 15 de outubro. Segundo a administração, isso fez com que ele (e mais 154 mil beneficiados pelo DACA, cujas permissões de trabalho expirariam antes de 5 de março de 2018) aplicassem para a renovação de 2 anos), mas somente se tais aplicações chegassem até 5 de outubro.

Enriquez foi ao escritório da ONG Church World Service para obter ajuda com a aplicação de renovação. Segundo Carrie Carranza, a aplicação dele foi enviada em 18 de setembro. “A aplicação dele foi enviada no mesmo tempo que muitas aplicações do DACA que agora foram aprovadas”, disse ela ao Vox, na quarta-feira (13).

Entretanto, Enriquez não teve tanta sorte, pois a aplicação dele chegou ao centro de processamento do USCIS em Chicago (Ill.) em 10 de outubro, ou seja, 3 semanas depois que ele a enviou e 5 dias após o prazo. Ela foi rejeitada.

Na ocasião, acrescentou Carranza, eles realmente não entenderam o que aconteceu; “nós dissemos a ele, ‘nós sentimos muito pelo o que aconteceu; você fez tudo correto; foi simplesmente um engano, um imprevisto, fora do nosso controle”.

Quando os jornais The New York Times e o Vox publicaram o problema em novembro, o USCIS reverteu a postura e informou: “O USPS (correios) está trabalhando com o USCIS para identificar as renovações do DACA que foram recebidas depois do prazo devido ao atraso na entrega das correspondências”, como no caso de Enriquez.

Ativistas e democratas, extrapolando os cálculos do USCIS, avaliam que 122 imigrantes perderão a proteção do DACA todos os dias entre 5 de outubro e 5 de março. Isso não inclui os imigrantes presos pelo ICE mesmo sendo protegidos pelo DACA ou aqueles cujas proteções foram retiradas após uma detenção; tornando-os inelegíveis.

Enquanto o Congresso não resolve o impasse e vota numa solução definitiva para o DACA, Osman Enriquez e, talvez outros como ele, estarão esperando na cela de um centro de detenções até que os congressistas se decidam.

Foi lançada no website GoFundMe.com a campanha: https://www.gofundme.com/get-the-enriquezs-out-of-detention, cujo objetivo é angariar US$ 10 mil que serão utilizados para o pagamento da fiança de Osman Enriquez. Até a tarde de quinta-feira (14), haviam sido arrecadados US$ 1.145.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend