Deputado de New Jersey quer forçar Trump a mostrar imposto de renda

wp 1487094774044 Deputado de New Jersey quer  forçar Trump a mostrar imposto de renda
“Isso é para garantir que o povo americano conheça os fatos e, caso haja conflitos, eles precisam ser resolvidos”, disse Pascrell

O Deputado Federal Bill Pascrell (D-NJ) quer utilizar a legislação aprovada em 1924 para forçar o presidente a divulgar suas fontes de renda e bens

Um congressista em New Jersey disse que uma lei aprovada em 1924 e raramente usada poderia ser usada para examinar a declaração do imposto de renda do Presidente Donald Trump e verificar possíveis conflitos de interesse e violações da Constituição. Bill Pascrell (D-NJ), membro do “Ways & Means Committee”, pediu ao chefe do comitê, o também Deputado Kevin Brady, do Texas, para ordenar o Ministério da Fazenda para entregar a cópia da declaração de imposto de renda do magnata ao comitê.

Após o exame dos documentos, Pascrell busca 10 anos retroativos, o comitê decidirá se os compartilhará com toda a Câmara dos Deputados, que poderia divulga-lo ao público. A lei de 1924 concede aos comitês do Congresso o poder de avaliar declarações do imposto de renda. Ela foi usada em 1974, quando o Congresso avaliou as declarações do então Presidente Richard Nixon.

Durante sua campanha eleitoral, Trump alegou que não revelaria a declaração do imposto de renda porque estava sendo auditado. Após tomar posse, a conselheira Kellyanne Conway disse que o presidente eleito não revelaria os documentos porque o povo não se importava.

Pascrell rebateu que o que aconteceu durante a campanha não importa. “Isso não é para democratas e republicanos ou humilhar alguém”, disse ele. “Isso é para garantir que o povo americano conheça os fatos e, caso haja conflitos, eles precisam ser resolvidos”.

Perguntado se ele conseguiria ter acesso aos documentos, o deputado disse acreditar que muitos republicanos na Câmara e Senado “estão absolutamente intimidados por esse presidente”.

Com relação a outro assunto, líderes republicanos e democratas pediram na quinta-feira (9) a um regulador de ética para investigar se Conway, conselheira sênior de Trump, violou as regras de ética ao pedir durante uma entrevista na televisão que as pessoas deveriam comprar peças da linha de roupas da filha do presidente.

Pascrell disse não acreditar que Trump passou o controle de suas empresas aos filhos e, mesmo que o tivesse feito, o deputado concordou com as autoridades de ética que regulam o poder executivo que isto não é suficiente para impedir conflitos de interesse. Ele acrescentou que o presidente está violando a “cláusula de emolumentos” da Constituição, a qual impede que autoridades federais recebam presentes e brindes de governos estrangeiros. O deputado citou o assunto numa carta enviada na quarta-feira (1) a Brady.

Ele detalhou que governos estrangeiros estão pagando aluguéis, tarifas de licenças e emitindo alvarás para os projetos da Organização Trump e tudo isso pode ser usado para influenciar o presidente. A carta pediu que Brady responda até quarta-feira (15).

“Caso eu receba uma resposta negativa sobre isso; serei muito honesto contigo: Se estes caras pensam que deixarei isso de lado, eles são completamente loucos”, disse Pascrell. “As ligações telefônicas que recebemos, as ligações que os outros congressistas estão recebendo. É inacreditável; nós nunca previmos isso”.

Os membros do Congresso não são obrigados a liberar suas declarações do imposto de renda, mas devem preencher formulários similares que Trump deveria ter preenchido quando concorreu à presidência, indicando fontes de renda e o valor de determinados bens.

 

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to a friend