DHS é acusado de ignorar abusos sexuais em prisões da imigração

Foto26 Centro de detencao do ICE  DHS é acusado de ignorar abusos sexuais em prisões da imigração
O DHS recebeu o total de 33.126 reclamações de abusos sexuais e físicos entre janeiro de 2010 e julho de 2016

Coalisão de 71 imigrantes pede que as acusações sejam investigadas imediatamente

Na segunda-feira (18), mais de 70 membros do Congresso criticaram duramente o Departamento de Segurança Nacional (DHS) por não investigar milhares de acusações de abuso sexual apresentadas por imigrantes sob a custódia do órgão ao longo da última década. Numa carta endereçada a 4 autoridades federais, incluindo o chefe da Casa Branca e o inspetor geral do DHS, John Kelly, os 71 imigrantes envolvidos na ação judicial pediram ao DHS e seus órgãos subordinados para investigarem imediatamente as acusações.

“Nós escrevemos para expressar as nossas profundas preocupações com a prevalência de relatos de abuso sexual, agressão e assédio nas instalações dos centros de detenção do Departamento de Imigração (ICE), a falta de investigações governamentais adequadas dessas acusações e a recusa do Governo em liberar arquivos relevantes”, diz a carta.

Segundo o “Iniciativas Comunitárias para Visitar Imigrantes em Confinamento” (CIVIC), o DHS recebeu o total de 33.126 reclamações de abusos sexuais e físicos entre janeiro de 2010 e julho de 2016. Destes, somente 225, ou seja, 0.7% foram investigados. Três quartos dessas reclamações foram contra o ICE e membros da Patrulha da Fronteira (CBP).

Durante os 6 anos avaliados pelo relatório, o ICE, por exemplo, arquivou mais de 2 milhões de entradas em seus centros de detenção em todos os EUA. Apesar de o objetivo do ICE é impedir qualquer tipo de abuso sexual contra os detentos, dado o volume de indivíduos que passam anualmente através do sistema de detenção, o órgão considera o número de tais incidentes bastante baixos.

Desde que o CIVIC apresentou as ações judiciais, mais detidos denunciaram os abusos. Recentemente, uma mulher detida no T. Don Hutto Detention Center em Taylor (TX) denunciou ter sido abusada sexualmente quando estava sob a custódia do ICE num artigo publicado pelo Rewire. A denúncia ocorreu uma década depois de um guarda em Hutto foi acusado de agredir sexualmente uma mulher “enquanto o filho dela dormia no berço no interior da cela”.

A carta enviada ao DHS na sexta-feira (15) relata uma série de casos envolvendo estupro, abuso e negligência. A correspondência também critica a petição do ICE enviada à Administração Nacional de Arquivos e Dados (NARA) para atualizar o calendário para manter ou destruir os arquivos relacionados aos centros de detenções, incluindo aqueles relacionados a abuso sexual, confinamento na solitária e morte de detidos. Os grupos de defesa dos direitos humanos criticaram imediatamente o pedido, alegando que ele prejudica a capacidade do governo em parar e evitar comportamentos abusivos nas mãos do ICE.

“O ICE não deveria ser permitido apagar arquivos importantes e realizar suas operações distante do olhar público”, disse o American Civil Liberties Union (ACLU), em agosto.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend