Eleitores de Trump reprovam muro na fronteira e pedem “destravamento” do governo

Foto31 Donald Trump Eleitores de Trump  reprovam muro na fronteira e pedem “destravamento” do governo
Mais da metade dos eleitores registrados, 56%, culpou Trump e os congressistas republicanos pela paralização parcial do governo, indicaram pesquisas

Pesquisas revelam que a maioria dos americanos responsabiliza Trump pela paralização

Mesmo depois do discurso inflamado na Casa Branca e a visita à fronteira com o México, os eleitores americanos continuam a culpar o Presidente Donald Trump pela paralização do governo. O dobro dos eleitores concorda com congressistas democratas durante o impasse atual sobre a segurança na fronteira que levou a não liberação do orçamento federal, conforme uma pesquisa de opinião divulgada na segunda-feira (14).

O estudo realizado pela Quinniapiac University foi o 3º em dois dias durante os quais a maioria dos americanos responsabiliza Trump pela paralização e se opõe a promessa dele de gastar o dinheiro dos contribuintes na construção de um muro ao longo de toda a fronteira sul. Durante os discursos de campanha, ele prometeu aos seus admiradores que o México pagaria por todo o projeto.

Mais da metade dos eleitores registrados, 56%, culparam Trump e os congressistas republicanos pela paralização parcial, enquanto 36% dos entrevistados disseram que os democratas eram os responsáveis.

“Sr. Presidente, depende de você’, disseram os eleitores sobre a paralização do governo, culpando o Presidente Donald Trump e os congressistas republicanos mais que os democratas”, disse Tim Malloy, diretor assistente da pesquisa da Quinnipiac. “Apesar de eles acreditarem que haja uma crise humanitária e de segurança ao longo da fronteira sul; eles absolutamente não pensam que um muro resolverá o problema”.

Trumop não voltou atrás. Ele rejeitou a sugestão do Senador Lindsey Graham (R-SC), um ex-inimigo que tornou-se amigo, de temporariamente liberar verba ao governo enquanto a negociação seguem em andamento e, então, declarar estado de emergência para patrocinar o muro; caso as negociações não resultem em soluções.

“Eu realmente rejeitei”, disse Trump aos repórteres na Casa Branca.

Apesar das alegações do Presidente, os eleitores apoiaram os a nova maioria democrática com relação à cada tema que envolva segurança na fronteira. Os democratas conquistaram a maioria na Câmara dos Deputados pela 1ª vez nos últimos 8 anos. Aproximadamente, 63% contra 30% dos eleitores registrados apoiaram as propostas democratas de liberar a verba para o governo enquanto é negociado o quanto gastar com segurança na fronteira. Com margens similares, eles se opõem a paralisar o governo para forçar o Congresso a votar numa verba para a construção do muro, com 63% contra 24%, e apoiam medidas que promovam o aumento da segurança na fronteira, que não inclua o muro, na margem de 61% a 32%.

Em outra pesquisa da Quinnipiac, ambos os resultados divulgados na terça-feira (15) revelam que a maioria dos eleitores, 56%, disseram que desaprovam a forma com que Trump estava lidando com a imigração, com 42% a favor.

A pesquisa envolveu 1.209 eleitores, foi conduzida entre 9 e 13 de janeiro e possui a margem de erro de 3.3%. O discurso de Trump ocorreu em 8 de janeiro e a viagem à fronteira sul do país em 10 de janeiro.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend