Esposa de brasileiro acusado de pedofilia é incluída no caso

Foto11 Adalberto Henriques Freitas Esposa de brasileiro acusado de pedofilia é incluída no caso
Adalberto, conhecido popularmente como Bebeto, alega inocência e diz que os pais das crianças estão usando-o para poder se legalizar nos EUA

Mesmo com o marido detido, Cileida de Freitas teria ido ao Consulado Geral do Brasil em Boston (MA) e tentado renovar o passaporte

Na quarta-feira (28), ocorreu a audiência preliminar de Adalberto Henrique de Freitas, acusado de abusar sexualmente de duas meninas de 10 e 12 anos na creche clandestina (sem licença) administrada pela esposa dele, Cileida de Freitas, em Quincy (MA). Enquanto o marido responde às acusações, ela teria ido ao Consulado Geral do Brasil em Boston e tentado renovar o passaporte. Em decorrência disso, Cileida estaria sendo monitorada pela polícia e, portanto, não pode sair dos Estados Unidos. As informações são do jornal Brazilian Times.

Adalberto, conhecido popularmente como Bebeto, alega inocência e diz que os pais das crianças estão usando-o para poder se legalizar no país. A próxima audiência está agendada para sexta-feira (30). Caso seja considerado culpado nos EUA, o réu poderá ser condenado a 1 ano de detenção e, posteriormente, ter a custódia transferida para uma penitenciária em Contagem (MG), onde é acusado do mesmo crime.

. Acusado também no Brasil:

No Brasil, Freitas estaria sendo processado judicialmente tendo como base os artigos nº 2014 e 244 do Decreto de Lei 2.848 de 1940: Atos libidinosos e atentado violento ao pudor contra menores de 14 anos. Tal processo estaria suspenso desde 2013; uma vez que ele não está presente no Brasil, portanto, tornando-se um foragido. Bebeto também é acusado de pedofilia em Contagem (MG).

Já nos EUA, ele é acusado de ter molestado sexualmente duas meninas, de 10 e 12 anos, que passavam o dia na creche montada pela esposa, que era no mesmo apartamento onde o casal mora. Os abusos teriam acontecido quando ela descansava ou saía para comprar mantimentos para casa. O réu trabalhava em dois locais diferentes, numa padaria em Braintree (MA) e um restaurante em Hingham (MA) e retornava para casa às 2 e meia da tarde, quando aproveitava a ausência da esposa para supostamente molestar as menores.

Segundo pessoas envolvidas no caso nos EUA, Adalberto teria tocado na genitália das meninas, tirado as roupas delas, forçado que elas tocassem em seu órgão genital e as colocava sentadas em seu colo com o intuito de gratificação sexual.

. Revolta na comunidade:

Algumas mães de crianças que passaram pela creche e, mesmo que suas filhas não teriam sido abusadas pelo acusado, também expressaram espanto e revolta.

“É difícil aceitar este tipo de atitude e de atos. Estou profundamente indignada e engasgada com esta situação. Como pode um monstro destes abusar de crianças lindas e puras. Desde que descobriram tudo, eu não consigo deixar de chorar o tempo todo. Minha filha ficou lá um curto período, pois eu não gostei do ambiente e a tirei de lá, e ele não praticou nada contra ela. Não me sinto aliviada não. Sinto um vazio enorme pelas outras crianças que foram abusadas e por seus pais. O que será do futuro destas crianças?”, desabafou uma mãe.

. Supostas ameaças:

Algumas famílias das crianças abusadas estariam sendo ameaçadas por um parente próximo do réu que é cidadão americano naturalizado. O indivíduo estaria se aproveitando do fato de que alguns pais das vítimas estão em situação migratória irregular nos EUA para tentar coagi-las.

 

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend