Evangélicos podem ser “fundamentais” em reforma migratória

Foto20 Imigrantes detidos Evangélicos podem ser “fundamentais” em reforma migratória
Cerca de três quartos acreditam que os cristãos têm a responsabilidade de ajudar os imigrantes, mesmo que eles estejam no país ilegalmente

Quatro entre 5 eleitores evangélicos apoiaram a candidatura de Donald Trump em 2016

O Presidente Donald Trump deve sua presidência em grande parte aos cristãos evangélicos. Com 4 entre 5 dos eleitores evangélicos brancos o apoiando 2016, eles representaram a base eleitoral dele. Entretanto, a menos que ele adote uma abordagem mais compassiva em relação à imigração, ele pode não contar com o mesmo apoio em 2020.

Nos últimos anos, os cristãos evangélicos têm sido vistos como absolutamente “antipáticos” aos imigrantes. Essa visão é um pouco merecida: uma pesquisa de 2017 descobriu que três quartos dos evangélicos brancos apoiavam a “proibição de viagens”, impedindo que refugiados e indivíduos naturais de países de maioria muçulmana entrassem nos EUA.

Mas as visões evangélicas sobre a imigração são muito mais sutis do que a maioria das pessoas imaginam e os resultados das pesquisas sobre política não contam toda a história. Na liderança do World Relief, o braço humanitário da Associação Nacional de Evangélicos, é observado como os cristãos evangélicos dos EUA servem de maneira notável os vulneráveis nascidos no estrangeiro em suas comunidades.

Grupos religiosos recebem refugiados em aeroportos. Voluntários ministram aos solicitantes de asilo presos durante meses em centros de detenção. Os professores de ESL passam as noites nos porões das igrejas com os imigrantes ansiosos por aprender inglês. E indivíduos e famílias dentro das igrejas oferecem apoio aos refugiados durante o longo processo de integração em uma nova cultura para se tornarem membros independentes e prósperos de suas comunidades.

Além disso, as visões dos evangélicos sobre a imigração estão mudando rapidamente. De acordo com uma pesquisa recente da LifeWay Research, o apoio à legalização dos imigrantes indocumentados está concentrado significativamente entre os pastores evangélicos nos EUA. 66% dos pastores evangélicos são a favor da reforma da imigração que inclua um caminho para a cidadania. Apenas 21% são contrários, contra 39% dos pastores evangélicos que se opuseram apenas cinco anos atrás.

Cerca de três quartos acreditam que os cristãos têm a responsabilidade de ajudar os imigrantes, mesmo que eles estejam no país ilegalmente. E mais de um quarto afirma que suas congregações estão ativamente engajadas em ajudar os imigrantes localmente.

Esses pastores não estão fora de sintonia com seus fiéis. Uma pesquisa anterior da LifeWay Research com cristãos evangélicos constatou que a maioria significativa apoia reformas de imigração que combinariam melhorias na segurança nas fronteiras com possibilidade de regularização do status dos imigrantes indocumentados que pagassem uma multa e cumprirem outras qualificações. Apenas 16% se opunham a tal acordo.

Durante os primeiros anos de sua administração, o Presidente Trump instituiu mudanças severas na política de imigração, inclusive dizimando virtualmente o programa de reassentamento de refugiados dos EUA; separando milhares de crianças de seus pais; e tentou retirar proteções legais e autorização de trabalho de mais de um milhão de beneficiários de Ação Diferida para Chegadas Infantis (DACA) e Status Temporário Protegido.

Os evangélicos geralmente não apoiam a imigração ilegal; De fato, 87% dos pastores entrevistados disseram acreditar que o governo tem a responsabilidade de impedir a imigração ilegal. Mas os evangélicos também acreditam na redenção. Eles querem uma maneira de os imigrantes neste país ilegalmente poderem fazer as coisas certas, para obter a cidadania. Para a maioria dos evangélicos, é importante que as reformas respeitem o estado de direito. A maioria significativa dos evangélicos não pensa em um processo de legalização como anistia; em vez disso, eles veem isso como reconhecimento da violação da lei e da restituição. Esta não é uma ideia radical, na verdade, é um elemento central dos pacotes bipartidários de reforma da imigração.

Através do poder da igreja, os cristãos evangélicos desempenham um tremendo papel ajudando e ministrando aos imigrantes e refugiados dentro e fora dos EUA. E como os evangélicos continuam a reformular suas visões sobre a política de imigração, eles podem desempenhar um papel integral ajudando a trazer reformas de imigração abrangentes para os EUA.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend