Ex-executiva: Trump preferirá abandonar o cargo que sofrer impeachment

Foto20 Barbara Res  Ex executiva: Trump preferirá abandonar o cargo que sofrer impeachment
Barbara Res acrescentou que Trump não é “qualificado para o cargo que ocupa”, acrescendo que acreditava nisso antes mesmo de ele ser eleito

Barbara Res acredita que Trump deixará o cargo ou “fará algum tipo de acordo” antes que a Câmara dos Deputados possa iniciar o processo de impeachment

No domingo (6), uma ex-executiva da Organização Trump disse acreditar que o Presidente Donald Trump deixará o cargo ou “fará algum tipo de acordo” antes que a Câmara dos Deputados possa iniciar o processo de impeachment.

“Ele faz muitas coisas para manter a pose”, comentou Barbara Res, antiga vice-presidente da Organização Trump, no programa “Reliable Sources” do canal de notícias CNN. Ela reconheceu que “poderia estar muito errada”, embora pense ser importante para Trump que ele não entre para a história dos EUA como um presidente que foi retirado do cargo.

“Isso seria muito, muito, muito ruim para ele receber o impeachment. Eu não sei se ele será considerado culpado, mas também não sei se quer receber o impeachment. Eu acho que essa é toda a razão desse pânico. O meu instinto me diz que ele deixará o posto, sairá ou, talvez, fazer algum tipo de acordo, dependendo daquilo que aconteça”.

Res acrescentou que Trump não é “qualificado para o cargo que ocupa”, acrescendo que acreditava nisso antes mesmo de ele ser eleito e que ele não possui a experiência necessária para a Casa Branca. Ela criticou Trump antes das eleições de 2016, acusando-o de maltratar mulheres e chamando-o de “machista extremista”.

No domingo(6), Trump postou no Twitter que a porta-voz da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, e o deputado federal, Adam Schiff (D-CA), deveriam receber o impeachment pela forma com que conduzem a investigação contra ele; o que fez com que os legisladores democratas seguissem em frente com o processo.

Trump tem estado sob investigação desde uma ligação telefônica ocorrida em julho desse ano com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, na qual o Presidente dos EUA pediu a ajuda dele numa investigação contra o antigo vice-presidente Joe Biden e o filho dele, Hunter Biden. Trump alega que a conversa dele com Zelensky foi “perfeita” e o novo presidente ucraniano relatou que “não sentiu pressão”,

Entretanto os democratas, liderados por Schiff, alegam que Trump segurou verbas militares essenciais para Kiev como parte de um “toma-lá-da-cá” contra um oponente político. Ainda no domingo (6), Trump sugeriu através do Twitter que Pelosi (D-CA) era culpada de conspiração e, portanto, deveria “imediatamente” ser afastada do cargo.

“A Nancy Pelosi sabia de todas essas mentiras deslavadas do Adam Schiff e as fraudes massivas perpetradas contra o Congresso e a população dos EUA, na forma de discursos fraudulentos e os encontros ilegais com um informante sigiloso e um advogado”, postou ele no Twitter.

“Isso faz a nervosa Nancy cada vez mais culpada quanto o acomodado Adam Schiff por crimes sérios e delitos, até traição. Eu acho que isso significa que eles, com todos que mancomunaram com eles, sejam todos imediatamente afastados!” Acrescentou.

Os membros do Congresso não podem receber o impeachment, mas a Constituição determina que cada câmara do Congresso “determinem as regras de procedimento, puna seus membros por conduta inapropriada e, com dois terços dos votos, expulsar um membro”. Além disso, os membros podem ser censurados.

Semana passada, foi informado que o denunciante no centro do processo envolvendo a Casa Branca contatou o comitê de Schiff antes de apresentar formalmente a denúncia.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend