Filha de brasileira é vítima de bullying na escola em NY

Foto30 Lauren Julua Murgia Filha de brasileira é vítima de bullying na escola em NY
A estudante Lauren Júlia Murgia, de 9 anos, apresentou contusões no lado esquerdo do rosto (Foto: BT)

Gislaine Murgia relatou que a filha de 9 anos, Lauren Júlia Murgia, foi agredida no rosto por um colega de sala

Na terça-feira (14), Gislaine Murgia, natural de São Paulo, moradora em Astória (NY), relatou estar vivendo um dos maiores pesadelos que os pais podem ter: Sua filha de 9 anos, Lauren Julia Murgia, é vítima de bullying (perseguição) na escola em que estuda. As informações são do jornal Brazilian Times.

Gislaine detalhou que a filha sofre de deficiência de aprendizagem causada por desordem neurológica e que por isso a menina, às vezes, sofre bullying de coleguinhas na escola. Como mãe zelosa, a brasileira sempre tentou proteger a filha dos agressores, entretanto, semana passada, ela percebeu que Lauren havia sido agredida no rosto por um coleguinha e não foi comunicada do incidente pela administração da escolar, a Voice Charter Elementary School of New York.

“Essa é a segunda vez só este ano que ela sofre com esse tipo de agressão. Quando acontece qualquer coisa desse tipo, a escola costuma me ligar, dessa vez que foi ainda mais grave não me ligaram, descobri quando fui buscá-la na saída da escola”, disse Gislaine ao BT.

Inconformada, ela contatou a enfermeira da escola e questionou por que não foi informada sobre a agressão da filha. “Na quinta feira passada (9), fui buscar a Lauren e percebi que ela estava escondendo o rosto foi quando eu vi que algo havia acontecido… Pedi para falar com a enfermeira e questionei o motivo pelo qual não me ligaram informando que minha filha havia sido agredida por outra criança. Foi, então, que soube que a agressão ocorreu por volta de 8:00 am e 9:00 am. Um menino que costuma destratá-la ameaçou cortar o cabelo da minha filha, como ela disse que não queria, ele a agrediu com um soco. Já passava da 1:00 pm e até aquele momento ninguém havia feito nada… Minha filha estava machucada e sem assistência dentro da própria escola”, acrescentou Gislaine ao BT.

A brasileira diz que planeja conversar com a professora para saber por que nenhuma ação foi tomada com relação à agressão sofrida por Lauren e que ela peça desculpas por, aparentemente, não ter feito nada. Mesmo sofrendo perseguições constantes, a menina insiste que não quer mudar de escola.

“Só quero que minha filha entenda que os adultos também erram; que admitem seus erros e pedem desculpas quando isso acontece”, disse Gislaine ao BT.

Após insistir diversas vezes, a brasileira conseguiu junto à administração da escola agendar uma reunião com a professora para que os fatos sejam esclarecidos. Ela detalhou que, no momento, a principal preocupação é com o estado emocional da filha.

 

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to friend