Fim da paralização do governo não inclui muro na fronteira

Foto15 Donald Trump Fim da paralização do governo não inclui muro na fronteira
“Nos próximos 21 dias, eu espero que democratas e republicanos trabalhem de boa fé”, disse Trump

O impasse já durava 5 semanas e começava a comprometer de forma significativa as funções governamentais

Na sexta-feira (25), o Presidente Donald Trump concordou em suspender temporariamente a paralização do governo sem qualquer garantia para a liberação da verba de US$ 5.7 bilhões para a construção de um muro ao longo da fronteira com o México. O impasse já durava 5 semanas e começava a comprometer de forma significativa as funções governamentais.

“Nós chegamos a um acordo para suspender a paralização e reabrir o governo federal”, disse Trump na Casa Branca.

O Presidente informou que concordaria com a abertura de algumas partes paralisadas do governo até 15 de fevereiro, uma decisão que permitirá o pagamento de milhares de funcionários federais. Entretanto, Trump deu a entender que, caso o Congresso não aprove uma lei que libere verba para o muro dele até meados do mês que vem, ele poderia declarar emergência na fronteira. Isso permitiria que ele gaste verbas de emergência para construir partes do muro, embora isso possa resultar em ações judiciais.

“Nós realmente não temos escolha a não ser construir um muro poderoso ou barreira de aço”, disse Trump no final do discurso. “Caso não consigamos um acordo justo por parte do Congresso, o governo será paralisado em 15 de fevereiro, novamente, ou eu utilizarei a força concedida a mim pelas leis e a Constituição dos Estados Unidos para resolver essa emergência. Nós teremos muita segurança”.

Anteriormente, ele havia citado essa opção. “Eu tenho uma alternativa muito poderosa,  mas eu não quis usá-la dessa vez”, disse. “Esperançosamente, isso será desnecessário”.

O pronunciamento de Trump tende a mobilizar o Senado e Câmara dos Deputados a aprovarem rapidamente uma legislação que reabra o governo até 15 de fevereiro. Republicanos e democratas também deverão realizar uma conferência referente a proposta de gastos do Departamento de Segurança Nacional (DHS), durante a qual os legisladores concordaram em encontrar formas de aumentar a segurança na fronteira.

Esse processo não é garantido que chegue ao consenso sobre como patrocinar porções do muro na fronteira com o México, mas Trump disse esperar que os legisladores entendam a necessidade de um muro novo na fronteira. Ele rejeitou a opinião dos democratas de que um muro seria “medieval” e que a barreira que ele quer pode ser construída de aço e não concreto.

“Nenhum plano de segurança na fronteira pode funcionar sem uma barreira física. Isso simplesmente não acontece”, alegou o Presidente. “Nos próximos 21 dias, eu espero que democratas e republicanos trabalhem de boa fé. Trata-se de uma oportunidade para todos os partidos trabalharem juntos em benefício de toda a nossa bonita e maravilhosa nação”.

Os comentários de Trump foram feitos ao mesmo tempo em que os republicanos estão sendo cada vez mais culpados da paralização que vem afetando de forma crescente os trabalhadores federais e o público em geral.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend