Grávida, brasileira é encontrada morta na Holanda

Foto6 Patricia de Oliveira Santos Grávida, brasileira é encontrada morta na Holanda
Patrícia de Oliveira Santos, de 32 anos, mantinha um relacionamento amoroso há 3 anos com o holandês Dennis Van E., de 48 anos

Em 18 de outubro, a polícia encontrou Patrícia de Oliveira Santos, de 32 anos, morta no interior de um apartamento na cidade de Diemen  

Grávida de 7 meses do noivo holandês, Dennis Van E., de 48 anos, a cearense Patrícia de Oliveira Santos, de 32 anos, sonhava em recomeçar a vida na Europa com os 2 filhos de 8 e 9 anos, frutos de um relacionamento anterior. Entretanto, em 18 de outubro, a brasileira foi encontrada morta num apartamento em Diemen, na Holanda, com o feto. As autoridades locais investigam o caso.

Conforme a imprensa local, Dennis negou o crime e disse às autoridades que não conhecia Patrícia, mesmo que os vizinhos em Diemen os tenham visto entrando juntos no apartamento onde a brasileira foi encontrada morta.

Segundo familiares da mulher, Patrícia mantinha um relacionamento amoroso com Dennis há 3 anos, depois de tê-lo conhecido numa praia em Fortaleza, durante as férias do holandês no Brasil. Em 2018, ele teria pedido a brasileira em casamento, chegando a comprar as alianças de noivado, visitado a casa simples onde ela morava e conversado com os parentes dela. O casal planejava viajar à Holanda e retornar ao Brasil no início de dezembro, onde casariam no religioso no Ceará.

Antes de conhecer o noivo, Patrícia morava num casebre em construção, de chão de terra em um subúrbio de Fortaleza na companhia dos pais, os 2 filhos, uma irmã e sobrinhos. As crianças dormem em redes, não possuem sequer guarda-roupas e nem televisão. As roupas são guardadas em um baú.

Os parentes de Patrícia relataram que Dennis dizia que trabalhava num banco e que, depois de se casar, dividiria o tempo dele entre o Brasil e a Holanda. Entretanto, em websites holandeses, ele postou que não trabalhava, pois “já tinha ganhado dinheiro suficiente para isso”. A imprensa holandesa publicou que o suspeito foi corretor de imóveis, vendedor de seguros e previdência privada; ou seja, posições bem abaixo daquela que ele ostentava no Brasil.

Na busca por um futuro melhor, Patrícia concluiu o Ensino Médio e trabalhou como empregada doméstica, babá e vendedora de roupas.

Em 28 de setembro, Dennis e Patrícia viajaram à Holanda, com passagem de retorno ao Brasil marcada para 2 de dezembro. O Consulado Geral do Brasil em Amsterdã comunicou aos familiares a morte dela em 22 de outubro. Devido ao andamento das investigações, as autoridades holandesas não forneceram mais detalhes sobre o ocorrido. Dennis foi preso para interrogatório. Ele alega inocência.

. Mudança de personalidade:

Amigos e parentes relataram a mudança repentina de personalidade esboçada por Dennis assim que o casal chegou à Holanda. Alegando ter “ciúmes” dos contatos dela no Brasil, ele teria obrigado Patrícia a apagar o perfil dela no Facebook e WhatsApp, além de ter tomado o aparelho celular da noiva. Fabiana Oliveira dos Santos, irmã da vítima, relatou que Patrícia confidenciou-lhe que o noivo a pressionava constantemente para ela fizesse um aborto, apesar do estado adiantado de gravidez.

Durante às vezes em que esteve no Brasil, Dennis se mostrou um homem apaixonado, gentil, carinhoso, alegre e visitava com frequência a casa da família da noiva, contrastando com o comportamento possessivo apresentado na Holanda. Os parentes especulam que Patrícia possa ter morrido depois de ter sido forçada pelo noivo a realizar um aborto na gravidez em estágio avançado.

Os corpos da brasileira e o filho serão liberados após os laudos necessários e serão trasladados ao Brasil para velório e sepultamento. O transporte será pago pelo governo brasileiro.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend