ICE ameaça aumentar número de batidas em New Jersey

Foto18 Prisao ICE ICE ameaça aumentar número de batidas em New Jersey
Desde abril, as autoridades migratórias realizaram pelo menos 3 batidas que resultaram na prisão de quase 190 pessoas (Foto: ICE)

Aparentemente, a decisão é em retaliação à decisão do Estado Jardim em restringir a cooperação com as autoridades migratórias

Em resposta ao aviso de que New Jersey restringirá a cooperação das autoridades de segurança no estado com os agentes de Imigração, o porta-voz do ICE ameaçou aumentar o número de batidas na região. Desde abril, as autoridades migratórias realizaram pelo menos 3 batidas que resultaram na prisão de quase 190 pessoas suspeitas de estarem indocumentadas no país. O comunicado ocorreu depois do período de 12 meses em que o escritório do ICE em Newark aumentou o índice de prisões em 42% durante o ano fiscal de 2017, conforme a análise do Pew Research Center (PRC).

Agora, um dia depois que o procurador geral de justiça de New Jersey, Gurbir S. Grewal, anunciou as regras novas restringindo a interação da polícia local com os agentes do ICE, o órgão está ameaçando realizar mais batidas. Na sexta-feira (30), um porta-voz da jurisdição de Newark disse através de um comunicado ao canal de TV NBC Filadélfia que New Jersey poderá esperar o aumento das batidas em virtude das novas políticas.

“A probabilidade é prisões em geral e operações em locais de trabalho, o que já existe, tende a aumentar devido ao fato de que o ICE-ERO não terá mais a cooperação das penitenciárias com relação ao cumprimento das leis migratórias”, disse Emílio Dabul através de um e-mail.

Ele acrescentou que, uma vez que “a prioridade do órgão é a segurança pública e o cumprimento das leis migratórias, nós devemos alcançar isso até a maior abrangência possível, o que tende a envolver mais prisões em grande número e operações do cumprimento das leis em locais de trabalho”.

A ameaça é aparentemente em resposta ao “Immigrant Trust Directive” de Grewal, anunciado na quinta-feira (29). A diretriz limita o tipo de ajuda voluntária que as autoridades de segurança fornecem às autoridades migratórias, incluindo o ICE.

As novas regras têm o objetivo de fortalecer a confiança entre a polícia local e os imigrantes que residem no estado, disse Grewal. New Jersey possui um dos índices mais altos de população indocumentada nos EUA, com cerca de 500 mil indocumentados até 2014, segundo o PRC. As novas regras, conforme o Procurador Geral de Justiça, encorajará os imigrantes a denunciarem quando um crime for cometido.

“Com essa diretriz, nós esperamos tirar o0s imigrantes das sombras e inseri-los em nossas comunidades. Nós esperamos criar uma atmosfera onde os residentes sintam-se seguros próximos aos nossos policiais, seja denunciando um crime ou simplesmente iniciando uma conversa”, disse ele.

Inicialmente, um representante do ICE criticou a diretriz. “A decisão do Procurador Geral de Justiça de New Jersey de limitar a capacidade das autoridades de segurança de cooperarem com o ICE compromete a segurança pública e impede que o ICE atue em sua missão federal”, disse o diretor interino, Matthew Albence, através de um comunicado.

“Definitivamente, essa diretriz protege certos estrangeiros criminosos, criando um paraíso apoiado pelo estado para aqueles que buscam fugir das autoridades federais, tudo isso à custa da segurança das mesmas pessoas que o Procurador Geral de Justiça tem a obrigação de proteger”, acrescentou.

Embora Grewal tenha enfatizado que as novas políticas não tornarão New Jersey um estado santuário para os indivíduos indocumentados que cometerem crimes, as mudanças são parecidas com aquelas adotadas por cidades e estados que limitaram a cooperação com as autoridades migratórias desde que o Presidente Donald Trump assumiu o cargo.

Os departamentos de polícia e carcereiros não poderão mais manter as pessoas detidas por delitos pequenos após o prazo de liberação, mesmo que o ICE emita um pedido de prisão. Entretanto, as autoridades de segurança pública ainda poderão notificar o ICE da data de liberação de um detento se ele cometeu um crime grave como homicídio, estupro, incêndio culposo, agressão ou violência doméstica, mas eles poderão ser mantidos presos somente até 11:59 pm do dia agendado para liberação. Além disso, a não ser que recebe autorização do Procurador Estadual de Justiça, as autoridades de segurança estão impedidas de renovarem o programa Section 287 (g) com as autoridades federais, o qual permite que a polícia local aplique leis federais de imigração.

Os policiais também não podem parar, perguntar, prender, revistar ou deter uma pessoa simplesmente porque suspeita que ela seja indocumentada. Além disso, os agentes não podem perguntar o status migratório, a não ser que isso seja necessário na investigação de um crime grave. A diretriz entra em vigor em 15 de março de 2019.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend