ICE deporta membro de gangue procurado por homicídio

Foto3 Carlos Alfredo Luna Guebara  ICE deporta membro de gangue procurado por homicídio
Carlos Alfredo Luna Guebara, de 26 anos, entrou clandestinamente nos EUA (Foto: ICE)

Carlos Alfredo Luna Guebara é acusado de homicídio qualificado, conspiração para cometer homicídio e participação em organizações terroristas

Na quarta-feira (15), agentes do Setor de Operações de Remoção (ERO) do Departamento de Imigração (ICE) removeram um fugitivo procurado pelas autoridades salvadorenhas por homicídio qualificado, conspiração para cometer homicídio e participação em organizações terroristas. Carlos Alfredo Luna Guebara, de 26 anos, entrou nos EUA em data e local desconhecidos, sem passagem pela Alfândega.

Em 25 de fevereiro, o Tribunal de Apelação Comum de Allegheny (PA) condenou-o por acusações locais. Em 26 de fevereiro, a Penitenciária do Condado de Allegheny o transferiu para a custódia da ERO na Filadélfia. A ERO Filadélfia emitiu um Aviso para Comparecer (NTA) em nome de Carlos Alfredo, exigindo a deportação dele conforme o Ato de Imigração e Nacionalidade (INA), por ele ser um estrangeiro em situação migratória irregular nos EUA.

Em 6 de março, a ERO Filadélfia obteve uma cópia autenticada do julgamento para adicionalmente acusá-lo como sendo um estrangeiro condenado por um crime envolvendo torpeza moral. Em 8 de abril, um juiz de imigração em York, Pensilvânia, ordenou que ele fosse deportado dos EUA para El Salvador. Na ocasião, Guebara renunciou ao seu direito de apelar.

Em 11 de abril, a ERO Filadélfia recebeu e confirmou um mandado de prisão pendente para Carlos Alfredo por envolvimento com organizações terroristas, homicídio qualificado e conspiração para cometer homicídio qualificado em El Salvador. As autoridades salvadorenhas também indicaram que ele é um membro de gangue ativo e autuado da gangue criminosa de rua Mara-18.

Carlos Alfredo foi entregue às autoridades salvadorenhas sem incidentes.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend