ICE quer deportar imigrante grávida e mãe de 2 filhos em NY

Foto29 Alma Sofia Centeno Santiago ICE quer deportar imigrante grávida e mãe de 2 filhos em NY
Alma Sofia Centeno Santiago, de 33 anos, e os filhos de 3 e 11 anos, em Queens (NY)

Alma Sofia Centeno Santiago foi presa quando se dirigia ao tribunal para resolver uma disputa familiar envolvendo o namorado, em Queens (NY)

O Departamento de Imigração (ICE) planeja deportar uma mulher grávida e mãe de 2 filhos, ambos nascidos nos EUA, embora ela lute para permanecer no país. A guatemalteca Alma Sofia Centeno Santiago, de 33 anos, está na solitária numa penitenciária de um condado em New Jersey que abriga imigrantes, apesar do fato dela estar 3 meses grávida e sofrer problemas sérios de saúde, disse Jodi Ziesemer, diretora da ONG New York Legal Assistant Group.

Santiago já foi hospitalizada 2 vezes por infecções estomacais desde que detida em abril, pois não consegue comer os alimentos gordurosos são servidos na penitenciária. Ela tem vomitado e está desidratada, acrescentou Ziesemer. O centro de detenções está de quarentena devido à uma epidemia de caxumba e ela teme sofrer um aborto, caso não receba atendimento médico apropriado ou tenha acesso a um obstetra.

“É impressionante”, comentou Ziesemer. “Nós enquanto país, tomamos a decisão de tratar os detentos como sub-humanos”.

Caso Santiago seja deportada, ela se separaria permanentemente da filha de 11 anos e do filho de 3 anos, pois ambos não podem viajar à Guatemala devido às condições perigosas. “Nós precisamos dela aqui”, disse a mãe dela de 70 anos, Abladia Santiago Bermudes. “Os filhos dela estão aqui. O que nós iremos fazer sem ela?”

Ela tem vivido nos EUA desde 2004, quando fugiu da violência das gangues de rua na Guatemala. Ela foi detida quando cruzava clandestinamente a fronteira dos EUA e depois liberada. Quinze anos mais tarde, agentes do ICE a prenderam do lado de fora do prédio da Vara de Família em Queens (NY), onde ela estava resolvendo uma disputa doméstica com o namorado dela. O Governo alega que ela não compareceu ao tribunal há 15 anos e, portanto, recebeu uma ordem de deportação. Os advogados dela estão apelando essa deportação, pois a mãe dela alega que a filha nunca recebeu um aviso para comparecer a um tribunal de imigração.

Ainda assim, ao invés de permitir que o caso de Santiago seja ouvido no tribunal, o ICE informou que a deportaria na quarta-feira (26). Ziesemer alega que isso viola o direito legal dos imigrantes e suspeita que as autoridades estejam retaliando desde que a mãe dela contatou a candidata presidencial, a Senadora Kirsten Gillibrand (D-NY) e a mídia sobre a situação da filha, na sexta-feira (21).

“Eles estão tentando ignorar os direitos da Primeira Emenda dela”, disse Ziesemer, acrescentando que não existem razões para acelerar a deportação de Santiago. “O fato de que eles possuem o poder de enviar pessoas que prejudicam a imagem deles para outros países é uma violação da nossa Constituição”.

Santiago mora em Queens (NY) com o namorado dela, a mãe de 70 anos, 2 filhos e 1 sobrinha. Antes de ser detida em abril, ela trabalhava numa padaria e era a principal fonte de renda da família dela. A mãe dela imigrou aos EUA há 4 meses, depois de ter recebido ameaças de gangues de rua na Guatemala.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend