Pesquisa: Número de indocumentados nos EUA pode ser o dobro

Foto24 Imigrantes detidos Pesquisa: Número de indocumentados nos EUA pode ser o dobro
Tendo como base dados do Censo, comumente, o total de indocumentados que vivem nos EUA é calculado em 11 milhões

O novo modelo de cálculo revelou que esse índice poderia atingir até 29.5 milhões

O número de pessoas vivendo com o status migratório nos EUA pode ser o dobro do cálculo comumente aceitado de 11 milhões, revelou um estudo realizado pelas universidades de Yale e Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Em contraste com as pesquisas anteriores que se baseavam em dados do Censo, os cálculos utilizaram dados recentes envolvendo detenções nas fronteiras, expiração de vistos, entradas clandestinas e imigração voluntária. Os parâmetros foram criados para criar um novo modelo matemático para calcular o número de imigrantes indocumentados que vivem no país.

Uma revisão de tal magnitude poderá ter um impacto profundo no debate sobre política migratória, segurança na fronteira, criminalidade e recursos públicos. Mohammad Fazel Zarandi, palestrante sênior do MIT e coautor do estudo, disse que a descoberta inicialmente o preocupou.

“Eu não sabia se eu quis fazer isso. Eu não quis que isso fosse político”, comentou. “O nosso objetivo é apresentar números melhores e não iniciar um debate político”.

Pesquisadores não envolvidos no novo estudo questionaram a veracidade das conclusões, rebatendo que elas eram amplas demais e podem ter sido baseadas em suposições assumidas. O número comumente aceitado de 11 milhões é o resultado de um estudo realizado pelo Pew Hispanic Center de 2016 que foi calculado utilizando números do Censo e subtraindo da população legal de origem estrangeira do total dos estrangeiros que vivem no país. O Departamento de Segurança Nacional (DHS) utilizou a mesma metodologia em 2014 e encontrou o total similar de 12 milhões.

Os pesquisadores da Yale e MIT detalharam que suspeitaram do método que era tão dependente numa série de resultados de pesquisas do Censo. Em decorrência disso, eles buscaram modelos adicionais para realizar os cálculos. Utilizando uma variedade de dados recolhidos entre 1990 e 2016, eles criaram um modelo que calcula quantas pessoas entram ilegalmente nos EUA e subtraem do número de indocumentados que saíram. O modelo revelou que a população indocumentada que vive nos EUA em 2016 era de pelo menos 16.2 milhões e que esse número podia atingir até 29.5 milhões. A média calculada foi de 22 milhões.

“Quando estávamos testando o nosso modelo, nós achávamos que seria mais baixo que 11 milhões. Nós até tentamos cair para 11 milhões, mas não conseguimos”, relatou Zarandi.

As estimativas mais altas também podem prejudicar os argumentos utilizados por Trump. Por exemplo, o dobro da população indocumentada nos EUA indica que eles cometem crimes pela metade do índice previamente calculado. Aarti Kohli, diretor executivo do Asian Law Caucus, disse que o estudo indica que a maioria dos indocumentados vive nos EUA há mais de 15 anos.

“O que esse estudo nos diz é que nós temos muito mais famílias com status mesclado e isso demonstra que eles se integraram à nossa economia”, disse Kohli. “Eles estão trabalhando e vivendo em nossas vizinhanças sem que percebamos”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend