Imigrante brasileiro em processo de deportação “teme” voltar ao Brasil

Foto24 Lucas Goncalves de Andrade Imigrante brasileiro em processo de deportação “teme” voltar ao Brasil
Lucas Gonçalves de Oliveira Andrade permanece detido enquanto aguarda o desfecho do caso, pois reentrou clandestinamente nos EUA (Foto: Cortesia)

Lucas Gonçalves de Oliveira Andrade reentrou clandestinamente nos EUA em 2005, após ter sido previamente deportado

Um indivíduo detido semana passada por agentes do Departamento de Imigração (ICE), acusado de reentrar clandestinamente nos EUA depois de ter sido deportado, alega que a vida dele corre risco se voltar ao Brasil. O imigrante Lucas Gonçalves de Oliveira Andrade foi deportado em 2005 e reentrou clandestinamente através da fronteira com o México. As informações são do jornal The Daily News.

Andrade e outro homem, cujo nome não foi divulgado, foram presos por agentes do ICE na terça-feira (8), no interior do apartamento dele, na Collins St., em Newburyport (MA). O homem foi liberado, mas, segundo a advogada de Andrade, Becki Jacobson, ele foi mantido detido porque havia reentrado clandestinamente nos EUA depois de ter sido deportado.

Jacobson adiantou que está trabalhando com seu cliente para montar uma “entrevista de temor razoável junto a um representante do ICE”; que faz parte do processo no qual alguém que é detido possa alegar que ele ou membros da família correriam riscos se fossem enviados a seus países de origem. Ela alegou que Andrade teme retaliação por parte dos “coiotes” (traficantes de seres humanos), que o ajudaram a cruzar a fronteira.

“Uma entrevista de temor razoável permitiria que ele falasse o quanto tem medo de voltar para o seu país devido aos elementos sobre o porquê desse medo”, explicou a advogada. “Isso pode demorar um tempo. Ele não sairá da prisão tão cedo”, mas ela tenta agir rápido porque Andrade pode ser deportado a qualquer momento.

No início dessa semana, líderes religiosos locais citaram o medo instilado pelas ações dos agentes do ICE contra os imigrantes e na, terça-feira (15), a Senadora Estadual Kathleen O’Connor Ives (D-Newburyport) criticou o órgão as prisões de pessoas que não cometeram crimes graves e trabalhavam como membros produtivos da sociedade. Andrade mora há 13 anos em Newburyport e administrava a própria companhia de limpeza de casas e restaurantes.

“Isso está acontecendo em Newburyport e famílias estão sendo despedaçadas por todo o país”, disse O’Connor Ives. “A maioria das pessoas concorda que deveria haver a possibilidade de as pessoas poderem conquistar a cidadania”, mesmo que elas estejam nesse país sem os documentos migratórios.

“Atualmente, não há caminho rumo à cidadania. Essas pessoas indocumentadas são parte da comunidade e parte da economia. Se os trabalhadores indocumentados são bons o suficiente para cozinhar alimentos em nossos restaurantes, limpar nossas casas e contribuir para a economia, eles não deveriam ser forçados a viver com medo de serem separados de suas famílias”, acrescentou a Senadora.

Ela disse que o filho de 1 ano e 9 meses de Andrade, Luca, cidadão nato dos EUA, deveria ser levado em consideração, além de outras crianças na mesma situação no país. O ICE está realizando batidas que não possuem base racional, uma vez que a desculpa de histórico criminal ou perigo ao público é um abuso da verba pública e de autoridade”, acrescentou O’Connor Ives. “Em alguns casos, tem havido tolerância zero na análise do que queria melhor para a criança que é cidadã americana e possui direitos. É horrendo e negligente isso que o nosso governo federal faz. Eu não pararei de ajudar o Sr. Andrade até que ele se reencontre com o filho dele”.

 

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend