Imigrante legal é deportada por crime cometido há 20 anos

Foto19 Fanny Lorenzo Imigrante legal é deportada por crime cometido há 20 anos
Em 2014, Fanny tentou aplicar para a cidadania americana, mas foi negada devido à condenação do passado

Em 1997, Fanny Lorenzo assumiu a culpa por envolvimento numa plantação secreta de maconha em South Miami-Dade (FL)

Ela era uma residente legal permanente dos EUA quando os agentes federais a prenderam em decorrência da plantação secreta de maconha do marido dela em South Miami-Dade (FL). O incidente ocorreu em 1997, a nicaraguense Fanny Lorenzo assumiu a culpa, cooperou com os promotores públicos e serviu com sucesso os 5 anos de liberdade condicional. Ela manteve e renovou o green card, divorciou-se do marido dela, comprou uma casa e criou sozinha o filho; que se tornou um soldado americano. Fanny nunca foi presa novamente e, muitas vezes, viajou ao seu país de origem para visitar parentes.

Entretanto, no outono de 2017, quando Lorenzo, de 50 anos, retornou aos EUA depois de visitar parentes na Nicarágua, agentes no Aeroporto Internacional de Miami descobriram a condenação ocorrida há pouco mais de 2 décadas. Na ocasião, as autoridades permitiram que ela entrasse no país, mas em poucas semanas teve o green card cancelado e foi transferida para um centro de detenções, onde ficou detida por mais de 4 meses. Finalmente, em junho dele ano, Lorenzo foi deportada para a violenta Nicarágua. “Eu nunca pensei que eles fossem me deportar. Eu não sou uma delinquente”, disse ela por telefone em Manágua. “Obviamente, eu pensei, isso aconteceu há 20 anos, se eles verificarem o meu histórico, meu histórico é impecável”.

Em 2014, Fanny tentou aplicar para a obtenção da cidadania americana, mas foi negada devido à condenação do passado. Agora, de volta em Nicarágua, ela vive com parentes e depende das remessas de dinheiro feitas por familiares que vivem em Miami (FL).

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend