Imigrante que expôs abusos em centro de detenção é preso pelo ICE

Foto20 Claudio Rojas  Imigrante que expôs abusos em centro de detenção é preso pelo ICE
Cláudio Rojas foi detido durante uma visita de rotina ao escritório do ICE, em Miramar (FL). Na foto, ele e o ator que o interpretou (Foto: The Infiltrators)

A saga vivida pelo ativista comunitário Cláudio Rojas resultou no documentário “The Infiltrators”

Semanas depois que um documentário expondo injustiças ocorridas num centro privado de detenção de imigrantes no sul da Flórida estreou num festival nacional de filmes, Cláudio Rojas, de 53 anos, fonte da obra, foi preso por agentes do Departamento de Imigração (ICE). A prisão ocorreu em Miramar (FL), quando ele compareceu ao escritório das autoridades migratórias para a visita anual.

O filme “The Infiltrators” (Os infiltradores, em tradução livre) também será exibido no Miami Film Festival  na terça (5) e quarta-feira (6), no Silversport Cinema. Rojas planejava comparecer ao evento. Documentos apresentados no tribunal detalham que o cineasta e ativista permanece detido no centro de detenção Krome, em South Miami-Dade, até o domingo (3). Os advogados dele disseram que ele havia sido preso na quarta-feira (27) sem motivo aparente e agora enfrenta a deportação imediata.

“Eles chamaram o nome do Cláudio e, então, três agentes simplesmente o agarraram”, relatou a advogada Sandy Pineda ao jornal Miami Herald. “Ele não possui antecedentes criminais. Eles (autoridades) não nos permitiram o processo duplo, que os advogados falassem com ele e confiscaram o passaporte dele. Eles nos disseram que não tínhamos nada para falar com ele e que a ordem de prisão dele veio do alto escalão. Isso é grotesco”.

O ICE evitou discutir o assunto porque o órgão não teve acesso aos detalhes ocorridos durante o final de semana. Cláudio, um imigrante argentino que tornou-se um ativista ferrenho, sendo destaque na mídia nacional ao longo da última década, tornou-se fonte de informação para o National Immigrant Youth Alliance, depois de ter sido preso em 2010 por não respeitar o prazo de permanência do visto dele. Ele reside em Miramar com a esposa, 2 filhos adultos e recentemente tornou-se avô.

Ele denunciou o trabalho complexo no Broward Transitional Center, uma penitenciária privada que detêm centenas de imigrantes enquanto aguardam julgamento, revelaram os cineastas. As instalações também abrigam imigrantes em processo de deportação. Os depoimentos dele a ONG, que na época tentava impedir a deportação dele, inspirou a gravação do filme “The Infiltrators”, que estrou no Sundance Film Festival, em Utah, no início de fevereiro.

O documentário retrata um grupo de jovens indocumentados, conhecidos como “Dreamers”, que propositalmente são presos por patrulheiros para se infiltrarem no centro de detenções. A obra expõe as “condições terríveis que os imigrantes enfrentam enquanto estão detidos e a falta de poder sobre o próprio futuro”. Os eventos relatados ocorreram em 2012, durante a administração Obama.

Segundo Pineda, Cláudio possui uma aplicação para o visto “T” pendente. Os advogados dele apresentaram uma ordem de suspensão da deportação, a qual foi negada, mas foi apresentada uma moção para reabri-la. Os vistos “T” são emitidos para as vítimas de tráfico humano e tráfico de mão-de-obra. Os advogados deles alegam que Rojas tornou-se um candidato depois de ter sido vitimado por um patrão; um caso ainda sob investigação pelo Departamento de Trabalho dos EUA. Conforme a política do ICE, os indivíduos com vistos “T” pendentes ficam protegidos da deportação e podem se legalizar nos EUA.

“Trata-se de retaliação por aquilo que o Cláudio representa, ou seja, os imigrantes que lutam e não aceitam a detenção como a única opção deles. As pessoas que dizem ‘eu lutarei pela minha liberdade”, disse Viridiana Martinez, uma das infiltradoras originais, acrescendo a greve de fome e confinamentos na solitária de Rojas.

Cristina Ibarra, uma das diretoras do filme, escreveu uma carta aberta ao ICE pedindo que Cláudio seja liberado e permitido a participar do festival de filmes nessa semana. “Além dessa exibição na Flórida, o Sr. Rojas já foi convidado para comparecer a outros festivais do gênero em várias partes dos EUA”, escrevei Ibarria. “Como resultado das ações do ICE, o público americano perdeu a voz dele nas próximas conversas nacionais sobre a política migratória”.

Related posts

Comentários

Send this to a friend