Indocumentado que cortou o rosto do vizinho será deportado

wp image 631535993. Indocumentado que cortou o rosto do vizinho será deportado
Gabriel Garcia chorou durante a leitura da sentença e pediu desculpas (Foto: The Jersey Journal)

Gabriel Garcia golpeou a face da vítima com uma faca da orelha até o nariz

Na sexta-feira (11), Gabriel Garcia, de 30 anos, morador em Jersey City, considerado culpado de cortar o rosto do vizinho com uma faca da orelha até o nariz, cumprirá 7 anos de prisão e depois será deportado. Com a esposa e os filhos pequenos observando, o réu chorou quando era sentenciado por agressão com agravantes e porte ilegal de arma. Ele será deportado após cumprir a pena.

“Eu sinto pela sua família senhor. Eu realmente sinto”, disse o juiz da Corte Superior do Condado de Hudson, Mark Nelson. “Eles não merecem isso”.

Gabriel cortou o rosto do vizinho porque a vítima pediu que ele parasse de buzinar o carro para chamar alguém em frente à sua casa, depois da meia-noite. A vítima, de 35 anos, abordou Garcia na proximidade da Holmes Avenue e disse-lhe para parar de buzinar. O réu saiu da BMW armado de uma faca, cortou o rosto da vítima e quase decepou o dedo mindinho. O agressor entrou no carro e foi embora, mas retornou ao local, quando foi preso. A vítima precisou de 25 pontos para fechar o corte.

Nelson relatou que, quando a vítima entrou na sala de audiências durante o julgamento de Garcia, ele “pôde ver a cicatriz a 50 pés (15 metros) de distância”. A vítima não compareceu à audiência para ouvir a sentença.

Respirando pesadamente, Garcia disse: “Eu simplesmente quero me desculpar por tudo isso que está acontecendo. Eu admito que seja um covarde e não sou de brigar”.

Garcia alegou que na noite do incidente ele correu para salvar a própria vida, mas, quando alguém empurrou a mãe dele, parou e “foi agredido. Quando eles me atingiram na cabeça com uma garrafa, eu pensei que fosse morrer”.

Nelson frisou que Garcia testemunhou durante o julgamento que ele havia sido atacado, assim como outras testemunhas de defesa. O juiz disse que o júri não acreditou nessa versão e, portanto, o condenou. “O testemunho de outras pessoas portando bastões e outros tipos de arma comprometeu a credibilidade”, detalhou o magistrado.

Garcia possui 4 condenações criminais anteriores, incluindo porte ilegal de arma de fogo e duas por desordem. “Isso não foi uma briga; foi um ataque. Esse não é um dia feliz para ninguém”, disse o promotor público do Condado de Hudson, Kevin Roe. “O meus sentimentos vão para a família dele que falou hoje no tribunal, mas a justiça dever ser feita”.


Related posts

Comentários

Send this to a friend