Juiz decide que “noiva do ISIS” não é cidadã dos EUA

Foto11 Hoda Muthana Juiz decide que “noiva do ISIS” não é cidadã dos EUA
Hoda Muthana, de 25 anos, afirmou que é uma mulher “mudada” e que não tem mais a mesma ideologia dos seguidores do ISIS

Hoda Muthana não é cidadã dos EUA, portanto, os EUA não têm obrigação de deixá-la de volta ao país, determinou quinta-feira (14) um juiz federal

O Juiz Reggie Walton decidiu que havia provas suficientes para determinar que Hoda Muthana, nascida nos EUA, que fugiu de casa no Alabama para se juntar ao grupo terrorista na Síria em 2014, nasceu quando seu pai era diplomata iemenita, informou o BuzzFeed News.  O magistrado destacou que o pai de Muthana, Ahmed Ali Muthana, não pode fornecer apoio financeiro ela e o filho dela, Adam, de 2 anos, nascido no território do ISIS, sem enfrentar possíveis acusações de fornecer apoio material ao terrorismo.

Christina Jump, uma das advogadas que representam a família Muthana, confirmou a decisão do juiz em uma declaração obtida pelo jornal NY Post.

“Embora estejamos desapontados e discordemos da decisão do Tribunal, hoje, esse não é o fim das opções legais de nossos clientes. Vamos esperar para ler a opinião escrita do Tribunal e avaliar nossas opções disponíveis naquele momento”, afirmou Jump.

Ahmed alegou em um processo contra o governo Trump que renunciou ao seu status diplomático em 2 de junho de 1994, meses antes de sua filha nascer em Hackensack (NJ). Sua família disse que Hoda também tinha um passaporte legítimo quando deixou os EUA para se juntar ao ISIS.

A administração Obama determinou inicialmente que ela não era cidadã e notificou sua família de que estava revogando seu passaporte em janeiro de 2016. Os bebês nascidos nos EUA geralmente recebem cidadania, mas os nascidos de oficiais diplomáticos estrangeiros são exceções, sob a Lei de Imigração e Nacionalidade.

Em entrevistas anteriores, Hoda, de 25 anos, afirmou que é uma mulher “mudada” e que não tem mais a mesma ideologia dos seguidores do ISIS. “Espero que os EUA não pensem que sou uma ameaça para eles e que eles possam me aceitar”, disse ela em fevereiro, falando de um campo de refugiados no norte da Síria.

Ela também afirmou que sofreu lavagem cerebral pelo ISIS. Depois de ingressar no ISIS aos 19 anos, Hoda, que foi casada com pelo menos 2 combatentes do ISIS que morreram, um dos quais era o pai de seu único filho, incentivou ataques aos americanos.

“Americanos acordem … Vá e derrame todo o sangue deles … Veteranos, patriotas ”, postou Muthana no Twitter 2015.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend