Juízes serão enviados a 12 cidades para “acelerar” deportações

Foto16 Imigrantes detidos Juízes serão enviados a 12 cidades para “acelerar” deportações
Conforme a ordem executiva de Trump, os indocumentados com casos criminais pendentes são considerados prioridades para deportação; sejam julgados culpados ou não

As cidades escolhidas para receber os juízes possuem mais da metade dos 18.013 casos migratórios pendentes que envolvem réus indocumentados

O Departamento de Justiça está desenvolvendo planos para enviar temporariamente juízes de imigração de várias partes dos EUA para 12 cidades específicas com o objetivo de acelerar os processos de deportação de indocumentados acusados de crimes, informaram as autoridades. Quando e quantos juízes serão enviados ainda está sendo analisado, mas o Departamento de Justiça já começou a solicitar voluntários para a função.

As cidades escolhidas são: Nova York, Los Angeles (CA), Miami (FL), Nova Orleans (Louisiana), San Francisco (CA), Baltimore, Bloomington (Minnesota), El Paso, Harlingen (TX), Imperial (CA), Omaha (Nebraska) e Phoenix (Arizona). Esses municípios foram selecionados por terem um grande número de imigrantes indocumentados acusados de cometerem crimes, conforme as autoridades.

Um porta-voz do Escritório Executivo de Revisões Migratórias do Departamento de Justiça, que administra os tribunais de imigração, confirmou que tais cidades foram escolhidas como recipientes dos juízes, entretanto, não elaborou o plano.

O projeto de intensificar as deportações reflete a promessa feita com frequência pelo Presidente Donald Trump durante sua campanha presidencial de deportar imigrantes indocumentados envolvidos em crimes. O Departamento de Segurança Nacional (DHS) solicitou a distribuição dos juízes; uma decisão rara uma vez que os tribunais de imigração são administrados pelo Departamento de Justiça. Um porta-voz do DHA recusou-se a comentar o plano, uma vez que ele ainda não está finalizado.

Conforme um decreto de lei assinado por Trump em janeiro, os indocumentados com casos criminais pendentes são considerados prioridades para deportação; sejam julgados culpados ou não. A ordem executiva contrasta com a política do ex-presidente Barack Obama; a qual priorizava a deportação de somente os indocumentados condenados por crimes graves.

A decisão da nova administração foi criticada por grupos defensores dos direitos dos imigrantes que alegam ser injusto focalizar em imigrantes considerados inocentes nos tribunais e, portanto, não representam risco à segurança pública.

As cidades escolhidas para receber os juízes possuem mais da metade dos 18.013 casos migratórios pendentes que envolvem indocumentados que enfrentam ou foram condenados de acusações criminais, segundo dados divulgados pelo Escritório Executivo de Revisões Migratórias do Departamento de Justiça. Mais de 200 desses casos envolvem imigrantes atualmente encarcerados, indicando que o resto ainda não foi julgado ou já cumpriram pena. O Departamento de Justiça não detalhou quantos restantes foram condenados e quantos ainda aguardam julgamento.

Além disso, o Departamento de Justiça está enviando juízes de imigração aos centros de detenção de imigrantes próximos à fronteira com o México. As transferências temporárias começarão na segunda-feira (20).

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to a friend