Mortes por overdose batem 4º recorde consecutivo em NJ

Foto1 Doses fatais de Carfentanil Fentanyl e Heroina Mortes por overdose batem 4º recorde consecutivo em NJ
Doses fatais das drogas Carfentanil, Fentanyl e Heroína

Pelo menos 3.163 pessoas morreram de overdose no Estado Jardim, ao longo de 2018

Ao longo de 2018, pelo menos 3.163 pessoas morreram de overdose no Estado Jardim. O índice é mais alto que a população da cidade de Saddle River, mais que o número de alunos da Universidade St. Peter’s em Jersey City, mais que as pessoas mortas pela gripe, homicídios, acidentes de carro e suicídios em 2016 juntos.

Os números astronômicos são na maioria o resultado da crise nacional e estadual do abuso no consumo de drogas derivadas do ópio, que resultou na morte de mais de 40 mil pessoas em todos os EUA em 2017. O impacto causado pelo problema vem sendo discutido há vários anos. New Jersey prometeu a liberação de milhões de dólares em verba no combate à crise. Narcan, um antídoto capaz de anular os efeitos do ópio em casos de overdose, salvou mais de 15 mil vidas em 2018 e, ainda assim, o número de casos fatais ainda aumenta. No ano passado, o índice de morte por overdoses no Estado Jardim bateu o recorde pelo 4º ano consecutivo, ou seja, é 4 vezes mais alto que há 1 década. Os dados foram colhidos pela Procuradoria Pública Estadual.

“Eu acho que nós devemos reconhecer que, infelizmente, todos os nossos esforços não estão tendo o impacto que ainda queremos ver”, disse o Promotor Público Gurbir Grewal. “Isso não significa que paramos. Eu estou otimista que estejamos nos movendo na direção certa. Eu tenho que estar”.

Desde que assumiu o cargo, Grewal fez do combate à crise do ópio uma prioridade, como o antigo governador Chris Christie fez nos anos anteriores. Ele está trabalhando para expandir de forma vasta os dados relacionados ao problema e já agiu para fortalecer as regras referentes à prescrição de drogas. Entretanto, está difícil para Grewal controlar o que está impulsionando a crise: Fentanyl.

Fentanyl é um derivado sintético do ópio que pode ser 25 mais potente que a heroína. A droga é fácil de ser produzida e tem sido relativamente fácil compra-la internacionalmente nos últimos anos. Desde 2014, a presença da droga tem sido cada vez mais frequente no mercado negro em New Jersey, geralmente sem o conhecimento do usuário.

Em 2013, o Fentanyl e outras drogas sintéticas e análogas estavam envolvidos em somente 3.5% das mortes em New Jersey. Em 2017, elas foram responsáveis pela morte de quase 1.400 pessoas, ou seja, 50% do índice no Estado Jardim. As autoridades de segurança informaram que os números em 2018 foram particularmente mais altos.

Apesar de começo da década os índices altos de mortes por overdose estivessem limitados a condados específicos, como Ocean, Atlantic e Camden, 19 entre 21 condados tiveram o índice de mortes por overdose pelo menos dobrar desde 2012. Em 2015, a NJ Advance Media publicou o artigo “Herointown” (Cidade da heroína, em tradução livre), um projeto investigativo que calculava que pelo menos 128 mil pessoas em New Jersey eram viciados em heroína. Na ocasião, o projeto frisou que na década anterior à publicação, pelo menos 10.100 pessoas morreram de overdose de drogas em New Jersey. Desde então, pelo menos 9.700 mortes ocorreram na metade do tempo.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend