NJ quer proibir sacolas de plástico e papel em supermercados

Foto19 Saca e garrafa plasticas NJ quer proibir sacolas de plástico e papel em supermercados
O projeto de lei (S2776) prevê a proibição de sacos de plástico descartáveis, canudos plásticos e recipientes para alimentos de poliestireno

Governador Phil Murphy aguarda um projeto de lei mais “rigoroso” para assinar decreto

No verão passado, New Jersey estava prestes a se tornar líder nacional nos esforços para reduzir o uso de sacolas plásticas e a redução de resíduos plásticos. Mas quando o projeto de lei chegou à mesa do Governador Phil Murphy, foi considerado não rigoroso o suficiente e vetado. Murphy pediu aos legisladores para tentar novamente.

Agora, um número crescente de estados está proibindo os plásticos de uso único. O Maine tornou-se o mais recente, na terça-feira (30), quando a Governadora Janet Mills assinou uma nova lei proibindo embalagens de poliestireno, incluindo isopor. Nova York passou a proibir em todo o estado as sacolas plásticas de uso único no final de março.

Enquanto isso, a proposta mais rigorosa que Murphy solicitou para New Jersey está parada na sede do governo, em Trenton (NJ). O projeto de lei (S2776) prevê a proibição de sacos de plástico descartáveis, canudos plásticos e recipientes para alimentos de poliestireno. Ele também inclui uma taxa de US$ 10 centavos em sacos de papel. Entretanto, a proposta pode ir ainda mais longe.

O senador Bob Smith, do D-Middlesex, chefe do Comitê de Meio Ambiente e Energia do Senado, disse que vai pressionar para que o projeto, que ele patrocinou, também seja alterado para incluir a proibição de sacos de papel. Smith disse que o movimento tem o objetivo de pressionar os moradores do Garden State a mudar seus hábitos de compra e levar suas próprias sacolas de casa.

Em março de 2018, o Condado de Atlantic anunciou uma proposta que os membros do Conselho avaliarão na terça-feira (3), antes do feriado de 4 de julho. A ordenança proíbe que os visitantes dos parques do Condado utilizem sacas e canudos plásticos. As autoridades locais tentam unir-se aos esforços estaduais de impedir o uso de sacas, canudos e outros artigos de plástico descartáveis.

“A maioria dos utensílios plásticos descartáveis não é biodegradável e nem sempre vai parar nos depósitos de lixo. Ao invés disso, eles poluem os nossos rios, lagos, riachos, oceanos e baías, assim como nossas praias e florestas. Estes são recursos naturais que melhoram a qualidade de vida dos nossos residentes e ajudam a atrair milhões de visitantes à nossa região”, disse Dennis Levinson, diretor executivo do Condado de Atlantic.

Ele citou o estudo que previu que o oceano terá mais peso em plástico do que peixes até 2050.

“O nosso objetivo é ser bons mantenedores do meio-ambiente e proteger os mais de 7 mil acres de parques no Condado para o uso e prazer dos nossos residentes e visitantes agora e por muito anos que virão”, acrescentou Levinson.

A proposta é parecida o que outras autoridades governamentais por todo o Estado Jardim estão aprovando ou avaliando. Em maio, os comissários do Monmouth Beach Borough votaram a favor da proibição do uso de sacas e canudos plásticos, além de caixas de isopor nas praias. Aqueles que burlarem a lei poderão ser multados em até US$ 2.400. Em junho, Jersey City e Hoboken aprovaram propostas similares.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend