Nova York avança processo de legalização da maconha

Foto25 Maconha  Nova York avança processo de legalização da maconhaRelatório redigido por especialistas dá parecer positivo na liberação do consumo medicinal e recreativo da droga na Big Apple

Um tão esperado relatório sobre o uso medicinal e recreativo da maconha recomendará que Nova York legalize o consumo da droga, informaram as autoridades de saúde, na segunda-feira (18). Apesar de o relatório ainda não estar finalizado, o comissário do Departamento Estadual de Saúde, Howard Zucker, disse que os redatores dele chegaram à conclusão favorável, depois de uma análise ampla sobre as implicações legais, médicas e sociais da legalização.

“Nós avaliamos os prós e contras”, disse Zucker aos repórteres durante uma coletiva de imprensa no Brooklyn. “Quando nós concluímos, percebemos que os prós superam os contras”.

O superior do Comissário de Saúde, o Governador Andrew Cuomo, há muito tempo vem demonstrando preocupação com a relação à legalização da droga no estado; chamando-a de “droga portão de entrada”, em 2017. Desde então, ele mudou um pouco a postura com relação ao polêmico tema e ordenou a realização do estudo no início de 2018 em decorrência da pressão feita por parte de ativistas a favor da legalização da droga, inclusive a principal oponente dele, a atriz Cynthia Nixon, do seriado “Sex and the City”.

Entretanto, os entusiastas não devem ainda contar com a legalização da maconha em Nova York, pois os legisladores estão agendados para entrar em recesso nesta semana, indicando que qualquer votação sobre o assunto não ocorra antes de 2019, em Albany (NY). A lista crescente de estados que legalizaram o uso recreativo da maconha inclui Califórnia, Colorado e dois vizinhos de Nova York, Vermont e Massachusetts. Enquanto isso, os legisladores em New Jersey avaliam um projeto de lei que permitiria o consumo recreativo e a expansão do programa da maconha medicinal no Estado Jardim.

Vários democratas, incluindo o membro da Assembleia Estadual, Carl Heastie e Nixon, disseram que qualquer esforço de legalização da droga em Nova York deve vir acompanhado de propostas que anulem o histórico criminal de milhares de pessoas que foram presas por posse pequena da droga ao longo de várias décadas. Indivíduos de ambos os lados do debate adiantaram que desejam ouvir mais sobre o que a administração Cuomo planeja propor.

John Coppola, diretor executivo da “New York Association of Alcoholism & Substance Abuse Providers”, disse que a legalização da droga deve vir acompanhada de esforços na prevenção do consumo por menores de idade e educar o público sobre o risco da dependência e o mau uso. “O plano deles devem conter todas as implicações relacionadas à saúde pública decorrentes da legalização e como as implicações negativas irão ser mitigadas”, comentou.

“Há perguntas sérias para serem respondidas sobre (o uso) a maconha; elas devem ser respondidas por pessoas sérias e que não possuem agenda política”, disse Katy Delgado, porta-voz do candidato republicano a governador, Marc Molinaro. “A única coisa que esse Governador se preocupa é a carreira política dele”.

Nova York já possui em vigor um programa de uso medicinal da maconha que permite aos pacientes participantes, que sofrem de determinadas condições especiais, utilizarem formas não inalantes da droga. Na segunda-feira (18), Zucker adiantou que as autoridades de saúde estavam planejando expandir o programa para incluir qualquer pessoa que tenha recebido receita médica para o uso de remédios derivados do ópio.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend