Passageiro é preso por fingir ser agente do ICE em cruzeiro nas Bahamas

Foto2 Navio Grand Celebration Passageiro é preso por fingir ser agente do ICE em cruzeiro nas Bahamas
Gopaul Parmanand estava a bordo do navio Grand Celebration (detalhe), no cruzeiro de 2 dias às Bahamas

Gopaul Parmanand exibiu um distintivo de prata e afirmou que trabalhava no ICE

Na quinta-feira (11), um morador no Condado de Palm Beach (FL) assumiu a culpa em um tribunal federal por ter fingido ser um agente federal durante um cruzeiro em julho nas Bahamas, quando na realidade era passageiro. A confissão foi resultado de uma investigação conduzida pelo Escritório de Responsabilidade Profissional (OPR), subordinado ao Departamento de Alfândega e Imigração (ICE), e a Departamento de Proteção de Fronteiras e Alfândega (CBP).

O réu Gopaul Parmanand, de 41 anos, morador em Palm Beach Gardens (FL), declarou-se culpado por fingir ser um agente especial do ICE, portar e exibir um crachá fraudulento. De acordo com documentos judiciais, agentes especiais do ICE-OPR compareceram ao Porto de Palm Beach, em 31 de julho, após receberem uma ligação de oficiais do CBP. Eles foram informados que Gopaul Parmanand. Parmanand retornava do cruzeiro de 2 que partiu do Porto de Palm Beach e com uma parada em Freeport, Bahamas.

Em 29 de julho, quando Gopaul estava a bordo do navio Grand Celebration, ele furou a fila para se aproximar do balcão da excursão em terra e perguntou como poderia se conectar à internet porque precisava checar seus e-mails de trabalho. O réu então exibiu um distintivo de prata e afirmou que trabalhava no ICE. A tripulação do navio também informou que Parmanand alegou ser um agente federal em outros momentos durante também às autoridades fronteiriças das Bahamas.

Durante a revista da bagagem de Parmanand, na volta aos EUA, o patrulheiros da CBP descobriram um objeto de prata na forma de um distintivo. Tal objeto tinha a aparência de um selo de agente especial do ICE com um selo do Departamento de Segurança Interna (DHS) no centro. O réu nunca foi contratado pelo ICE ou qualquer departamento do DHS, em qualquer função.

Gopaul está agendado para ser sentenciado pelo juiz distrital dos EUA, Robin R. Rosenberg, em 20 de dezembro de 2018, em West Palm Beach (FL). O réu poderá ser condenado à sentença máxima de até 3 anos de prisão.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend