Patrulheiro é acusado de matar mãe e filho na fronteira

Foto3 Ronald Anthony Burgo Aviles Patrulheiro é acusado de matar mãe e filho na fronteira
Anthony Ronald Burgos Aviles, supervisor da Patrulha da Fronteira (BP), está preso sem direito à fiança

Ronald Anthony Burgos Aviles pode ser condenado à morte, caso seja considerado culpado de matar a namorada e o filho dela

Um supervisor da Patrulha da Fronteira (BP) matou a namorada e o filho dela antes de telefonar para o serviço de emergência (911) alegando que encontrou os corpos próximos a um parque ao longo da fronteira com o México. As autoridades texanas divulgaram o caso na terça-feira (10). Ronald Anthony Burgos Aviles, de 28 anos, foi preso sem direito à fiança na Penitenciária do Condado de Webb e é acusado de ter cometido 2 homicídios.

Joe Baeza, porta-voz do Departamento de Polícia de Laredo (TX), disse que Aviles foi identificado como suspeito 1 hora depois da ligação ao 911, na segunda-feira (9). Ele detalhou que Grizelda Hernandez, de 27 anos, e o filho dela, Dominick Alexander Hernandez, de 1 ano, aparentemente foram assassinados próximo ao parque, que fica nas margens do Rio Grande e ao sul da World Trade Bridge, que liga os EUA ao México.

Aviles e Hernandez tinham um relacionamento amoroso, acrescentou Baeza. A investigação determinará se Dominick era filho do supervisor. “Isso ainda não acabou”, disse o porta-voz. “A investigação está simplesmente começando”.

As autoridades não detalharam como as duas vítimas morreram. Aviles trabalhava há 9 anos na BP e havia sido promovido ao cargo de supervisor em 2017. Jason Owens, chefe da BP no setor de Laredo, disse durante uma coletiva de imprensa, na terça-feira (10) que as duas mortes representam uma “tragédia horrível”.

“As ações desse indivíduo, se verdadeiras, são imperdoáveis e repreensíveis”, disse Jason. “Ninguém está mais enojado que nós ao pensar que alguém trajando esse uniforme tenha cometido um ato hediondo desse”.

Baeza disse que as investigações estão tentando conseguir mais informações sobre o relacionamento de Aviles e Hernandez, além de outros detalhes do caso, por exemplo, se o suspeito agiu sozinho ou teve a ajuda de outra pessoa. O promotor público do Condado de Webb adiantou que é ainda cedo demais para determinar se os advogados de acusação pedirão a pena de morte, acrescentando que o caso “está tendo prioridade extrema”.

 

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend