Policiais em cidades pró Trump ajudam na prisão de indocumentados

Foto18 Prisao ICE Policiais em cidades pró Trump ajudam na prisão de indocumentados
O programa 287(g) permite que os policiais locais verifiquem o status migratório de pessoas detidas (Foto: ICE)

O número de departamentos de polícia cadastrados no programa 287(g) dobrou em 10 meses

Dezenas de Departamentos de Polícia nos EUA receberam poderes novos, ou buscam adquiri-los, para verificarem o status migratório das pessoas que são detidas; ajudando o Presidente Donald Trump no combate aos imigrantes indocumentados. Desde que ele assumiu o comando do país em janeiro, 29 departamentos juntaram-se ao programa especial, no qual eles se tornam autorizados a executarem algumas tarefas de agentes de imigração. O número de departamentos cadastrados dobrou em 10 meses, conforme o Departamento de Imigração (ICE), e administração atual espera que esse seja simplesmente o começo.

Os documentos obtidos através do Freedom of Information Act revelou que a administração manteve contato com muitas jurisdições interessadas no programa, sendo que 38 já enviaram aplicações ou demonstraram interesse. O programa, conhecido como 287(g), autoriza policiais treinados pelo ICE a usar os arquivos federais para verificar o status de indivíduos que eles suspeitam estar ilegalmente nos EUA e, então, entrega-los aos agentes federais caso estejam.

O Departamento de Segurança Nacional (DHS) informou no passado que as forças policiais participantes do programa já denunciaram milhares de pessoas para deportação. A expansão ampla do programa acontece enquanto Trump tenta acelerar as prisões e deportações dos indocumentados. O grande número de departamentos de polícia expressando interesse no programa não havia sido divulgado anteriormente. Curiosamente, a maioria dos departamentos de polícia que se inscreveram no programa, ou tentam fazê-lo, possui populações relativamente pequenas, tipicamente menos de 100 mil habitantes, e com populações imigrantes baixas. Em contraste, as quase 3 dúzias de “cidades-santuário” que limitaram a colaboração com os agentes de imigração possuem a população média de meio milhão de habitantes e índice alto de imigrantes.

Durante o governo do Presidente Barack Obama, o 287(g) foi reduzido, assim como a verba que o mantém devido ao receio de que alguns departamentos de polícias zelosos em demasiado focalizassem na população latina. Além disso, críticos alegaram que o programa prejudicaria a confiança das comunidades imigrantes na polícia. No final do ano fiscal de 2016, somente 32 acordos estavam em vigor, em contraste com o pico de 70 jurisdições participantes. Atualmente, 60 departamentos de polícia em 18 estados participam.

Três quartos dos departamentos que já assinaram o 287(g) ou que estejam interessados em fazê-lo estão localizados em condados que votaram em Trump em 2016, segundo dados eleitorais. O ICE não informa que jurisdições demonstraram interesse até que elas assinem o contrato. Um funcionário do ICE disse que o aumento pelo programa cresceu depois que Trump assumiu o cargo e assinou um decreto de lei que incluiu a expansão do apoio ao 287(g).

A pequena cidade de Bensalem (PA), a meia hora de viagem da Filadélfia, é um dos municípios que esperam cadastrar-se no programa. Fred Harran, diretor de segurança pública da região de 60 mil habitantes, disse que qualquer indocumentado que cometa um crime, mesmo um delito, como furto e posse de uma pequena quantidade de drogas, deveria ser deportado e ele deu as boas vindas à ajuda do ICE.

“Se deportar você desse país, caso tenha cometido um crime, for uma ferramenta ao meu dispor, pode ter a certeza de que vou usá-la”, disse Harran.

Já na vizinha Filadélfia, o comissário de polícia Richard Ross Jr. apoia uma abordagem diferente. Como muitos chefes de polícia em metrópoles com grande número de imigrantes, ele quer que os moradores estrangeiros se sintam confortáveis com a polícia na solução de crimes.

“Não há nada no mundo que faça você se apresentar como fonte de informação, caso acredita que esteja em risco de ser deportado”, testemunhou Ross numa audiência judicial em outubro. A Filadélfia acional judicialmente a administração Trump com relação as ameaças de corte de verba federal das cidades-santuário.

Uma vez que a jurisdição é aprovada para o 287(g) ela envia os policiais para treinamento junto ao ICE. As cidades pagam pela viagem, acomodação e outras despesas dos policiais. Já o ICE paga pelas instalações de seus arquivos e outras tecnologias nos escritórios locais para os policiais treinados usarem.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend