Policial é acusado de DUI e homicídio veicular em Elizabeth

Foto1 Jairo Lozano Policial é acusado de DUI e homicídio veicular em Elizabeth
Jairo Lozano (foto) morreu após ter dado entrada no Trinitas Regional Medical Center

O jipe dirigido por Rômulo Meneses Alvarez atingiu a motocicleta pilotada por Jairo Lozano

Um policial de folga, previamente acusado de dirigir bêbado (DUI) num acidente que matou um motociclista na noite de Halloween, enfrenta agora a acusação de homicídio veicular. Na terça-feira (12), Rômulo Meneses Alvarez, de 30 anos, foi acusado de homicídio veicular com risco específico, um crime de 3º grau caracterizado quando o réu provoca uma morte por dirigir intoxicado, detalhou a Promotoria Pública do Condado de Middlesex.

Na noite de 31 de outubro, Rômulo dirigia um Jeep Wrangler, nas proximidades do Parque Carteret, em Elizabeth, quando ele chocou-se contra a motocicleta, matando Jairo Lozano, de 29 anos. Além de dirigir intoxicado, o policial já havia recebido citações por dirigir com negligência e não ceder a vez a outro veículo.

O Chefe de Polícia John Brennan disse que o status empregatício de Alvarez junto ao departamento está sendo revisado. “Nós acabamos de chegar a esse ponto”, comentou. “Nós não tínhamos chegado tão longe ainda”.

Rômulo ingressou na polícia em 2015, após trabalhar no escritório do xerife do Condado de Union. O salário anual dele é de US$ 57.779, segundo o arquivo de pensões do Estado.

Em novembro, o caso foi transferido da Promotoria Pública do Condado de Union para o escritório do promotor público do Condado de Middlesex, em decorrência do potencial de conflito de interesses. Lozano, morador em Elizabeth, faleceu no Trinitas Regional Medical Center depois do acidente que ocorreu às 11:20 da noite, no cruzamento da Elmora Avenue e Vine Street, detalharam os promotores. Rômulo não sofreu ferimentos.

Josh McMahon, o advogado que representa a família de Jairo, disse que uma testemunha que vive próximo onde ocorreu o acidente saiu de casa ao ouvir um barulho alto o informou que um policial de Elizabeth encarregado do caso teria dito Alvarez que ele poderia deixar o local. A testemunha contou ao advogado que Rômulo foi embora, embora não tenha sido determinado se ele foi submetido ao teste do bafômetro.

A testemunha, que conhecia Jairo, relatou a McMahon que acompanhou a namorada do motociclista até o hospital e perguntou a outro policial de Elizabeth por que o Rômulo havia sido liberado para deixar o local. O agente respondeu que não tinha conhecimento que Alvares havia ido embora.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend